quarta-feira, 31 de outubro de 2018

“Moro não é juiz, é político, e deveria logo aceitar esse Ministerio”, diz Ciro Gomes à Rádio CBN

Resultado de imagem para Ciro Gomes CBN
Em entrevista à Rádio CBN nesta quarta-feira (31), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) declarou que Sérgio Moro não é juiz, “e sim político”, e por isso deveria aceitar logo o convite de Bolsonaro para o Ministério da Justiça.

Moro vai se encontrar nesta quinta-feira (1º), no Rio de Janeiro, com o presidente eleito para ser formalmente convidado. Ele ficaria no Ministério até 2020 e depois assumiria a vaga de Celso de Mello no STF.

Palmares: Servidores efetivos estão há dois meses sem receber

A imagem pode conter: 1 pessoa, céu e atividades ao ar livre
Com os respectivos salários atrasados há dois meses, servidores efetivos da prefeitura de Palmares, realizaram nesta quarta-feira uma mobilização contra a atual gestão de Altair Junior (MDB) que é prefeito do município.
Críticas à gestão e com a presença de lideranças políticas do município, os servidores efetivos reclamam que estão desde o mês agosto sem receber os salários. 
"Algumas pessoas aqui presentes estão sem receber os meses de setembro e o de outubro e tem delas que nem agosto receberam" disse um dos manifestantes presente ao evento.
De acordo com informações, estão nessa situação funcionários e aposentados (Palmares tem seu próprio regime).

João Campos diz que projeto que fechou delegacia é fortalecimento das instituições

Resultado de imagem para João Campos Pernambuco
Em entrevista ao Programa Resenha Política na TV JC ONLINE, o deputado federal eleito João Campos (PSB), disse que o que está havendo é uma má interpretação que está acontecendo nas redes sociais com relação ao fechamento de uma delegacia e a criação de outras sete.

"Está havendo uma falha de comunicação grave e algumas pessoas estão usando disso para confundir a cabeça das pessoas. O que o governador Paulo Câmara está fazendo é expandir os trabalhos que existem em só delegacia em outras sete, e ainda a criação de um departamento" disse o deputado eleito.

Questionado se o quadro de pessoal, ou seja, a delegada Patrícia Domingos irá ficar à frente, o deputado eleito disse que isto não cabe a ele e sim ao Secretário de Defesa Social. "O governo não está fazendo isso (perseguindo a delegada) quem vai ocupar ou não, cabe ao secretário dizer" disse João Campos.

O deputado federal eleito disse que o que aconteceu é normal. "Foram apenas quatro votos contrários, e inclusive deputados de oposição votaram a favor." disse. "Isto pra mim é o fortalecimento das instituições", disse o socialista, que é filho de Eduardo Campos.

Sérgio Moro deve aceitar o ministério da Justiça

Se aceitar, Moro vai assumir pasta que reunirá a Justiça e a Segurança Pública
Sergio Moro deve ser o próximo ministro do governo Jair Bolsonaro. Fontes próximas ao juiz e ao presidente eleito garantem que as condições colocadas pelo juiz foram aceitas. O anúncio pode acontecer amanhã, após o encontro os dois no Rio de Janeiro.

Moro assumirá o Ministério da Justiça e da Segurança Pública, uma fusão entre duas pastas que existem hoje. Com isso, a Polícia Federal ficará subordinada a ele. Outra condição era receber o ministério com “porteira fechada” – ou seja, sem qualquer indicação política.

As primeiras conversas aconteceram na semana passada, antes do segundo turno. Paulo Guedes esteve com o juiz e, ao longo de toda uma tarde, ouviu o que seria necessário para que o convite fosse aceito.

Bolsonaro e Moro se encontrarão amanhã na casa do presidente eleito, num condomínio na Barra da Tijuca.

(Portal R7)

Silvio Costa: ”Bolsonaro foi o 7 x 1 da política”

Por Sílvio Costa

“Respeito o contraditório, respeito todos os brasileiros e brasileiras que votaram em Jair Bolsonaro. Respeito o direito de escolha das pessoas. Reafirmo, como registro histórico, que os 57,7 milhões de votos em Bolsonaro tiveram como motivação maior o ódio ao PT. O ódio é o pior conselheiro.

Gostaria, neste momento, de estar errado. É evidente que jamais vou torcer contra o meu País, mas não tenho dúvidas de que os 57,7 milhões de brasileiros e brasileiras que votaram em Bolsonaro fizeram o maior gol contra da história do Brasil.

A goleada de 7 x 1 que levamos da Alemanha em 2014 jamais será esquecida. Foi uma tatuagem de mau gosto no futebol brasileiro. Lamento dizer que o tempo vai mostrar que aqueles e aquelas que marcaram o 17, no último domingo, a maioria movida pelo ódio, pela negação da política e pela ilusão da solução fácil não têm dimensão do tamanho do desastre que será o governo Bolsonaro.

Conheço Bolsonaro e o seu entorno político. Falta, inclusive, equilíbrio emocional há alguns deles. O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, já agrediu o Mercosul, agrediu os industriais brasileiros e de maneira equivocada fala em usar as reservas cambiais, um dos pilares da credibilidade internacional do Brasil.

O presidente eleito Bolsonaro forma um superministério no qual o futuro ministro Paulo Guedes sequer terá tempo físico para gerenciá-lo. O presidente eleito Bolsonaro, de forma demagoga, diz que vai repassar as sobras da campanha à Santa Casa de Misericórdia, mesmo sabendo que a lei eleitoral não permite. Demagogia baratíssima.

É muito atropelo para pouco tempo de jogo. O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que sempre teve um déficit de diálogo no Parlamento, já levou o primeiro “carão” público de Paulo Guedes, por dar “pitaco” onde não foi chamado: a economia. Nunca vi uma equipe de transição de governo com uma dupla tão desafinada.”

Horário de verão começa neste domingo, dia 4

O horário brasileiro de verão terá início a partir de zero hora do primeiro domingo do mês de novembro (4), quando os relógios deverão ser adiantados em uma hora em 11 estados brasileiros.

Até o ano passado, o horário de verão se iniciava no terceiro domingo do mês de outubro. A partir deste ano, após solicitação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ainda em 2017, o início do horário de verão foi postergado para o primeiro domingo do mês de novembro, com o objetivo de evitar a mudança de horário entre o primeiro e o segundo turno da eleição, mantendo o critério único de início da aplicação da política a cada ano.

O término do horário de verão fica mantido para o terceiro domingo de fevereiro de 2019. Os relógios devem ser atrasados em uma hora na madrugada de sábado (16) para domingo (17), a partir da meia-noite.

Este horário que não economiza nada de energia e já deveria ter sido extinto pelo presidente Michel Temer, entrará em vigor nas seguintes unidades federativas: Distrito Federal (DF), Goiás (GO), Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS), Minas Gerais (MG), Paraná (PR), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC), São Paulo (SP) e Espírito Santo (ES).

Conheça a equipe de transição de Jair Bolsonaro

Veja os nomes da área econômica que fazem parte da equipe de transição do novo governo
A TV Globo apurou alguns nomes que devem compor a lista de transição do novo governo. Os nomes estão associados à área econômica e devem, a partir desta semana, estudar a situação atual e começar a planejar as diretrizes do novo governo. São eles:

“Paulo Guedes – PHD pela Universidade de Chicago, um dos fundadores do banco Pactual. Futuro Ministro da Economia.

Adolfo Sachsida – Doutor em economia pela Universidade de Brasília e pós-doutor pela Universidade do a Alabama. É pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Tem vários artigos publicados na área econômica.

Carlos da Costa – Foi diretor de planejamento, crédito e tecnologia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Antes disso, presidiu o Instituto de Performance e Liderança, foi executivo residente no JP Morgan e sócio-diretor do Ibmec Educacional. Atuou como consultor em empresas e programas de governo, em especial nas áreas relacionadas a desenvolvimento, produtividade e mercado de capitais. Mestre e PHD pela UCLA, economista pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Marcos Cintra – Possui graduação em economia pela Harvard College, mestrado e metrado em planejamento regional na mesma universidade. Atualmente é professor titular e vice-presidente da Fundação Getúlio Vargas. Já foi Secretário de Planejamento do Município de São Paulo, vereador e deputado federal, com experiência na área econômica, com ênfase em política tributária.

Abraham Weintraub – Trabalhou na iniciativa privada, no Banco Votorantim por 18 anos onde foi economista-chefe e diretor.

Arthur Weintraub – É formado em direito pela USP. Especializado em previdência com 14 livros publicados.

Hussein Kalout – Secretário especial de assuntos estratégicos do atual governo, cientista político, professor de relações internacionais e pesquisador licenciado de Harvard. Na administração pública foi secretário de relações internacionais do Superior Tribunal de Justiça (STJ), consultor das Nações Unidas, secretário-geral da Comissão conjunta de Poderes Judiciários de America Latina, Caribe e União Europeia.

Roberto Castello Branco – Doutor em economia pela FGV e pós doutorado na mesma área pela Universidade de Chicago. Foi professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), Presidente Executivo do IBMEC, diretor do Banco Central, Economista chefe da Vale do Rio Doce.

Waldery Rodrigues Junior – Doutor em economia, tem graduação em engenharia pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Fez mestrado em economia na Universidade de Michigan e doutorado pela Universidade de Brasília. É coordenador-geral na Secretaria de Política Econômica (SPE).”

(Portal G1)

Armando avalia como erro fusão de ministérios: “O Brasil não precisa de um czar na economia”

Resultado de imagem para Armando Monteiro no senado
Senador critica extinção da Indústria e Comércio e avalia que “superministério foi adotado no governo Collor e não deu certo”


O senador Armando Monteiro (PTB) avaliou como um erro do governo eleito a ideia de criar o superministério da Economia, fundindo Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Líder empresarial respeitado em todo o país e ex-ministro da Indústria, Armando criticou as declarações sobre o setor produtivo feitas pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. Na avaliação do senador pernambucano, a fusão dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente é uma medida “extravagante”, além de afirmar que as mudanças não trarão economia aos cofres públicos. Veja abaixo os principais trechos da entrevista concedida por Armando ao programa de Geraldo Freire, na Rádio Jornal, do Recife, na manhã desta quarta-feira (31):

Sobre declarações de Paulo Guedes
“Eu responderia dizendo: vamos salvar a indústria apesar dos economistas. Eu vejo muito mal uma posição de alguém que ainda não assumiu a pasta, de alguém que não detém uma maior experiência na gestão pública, que não faz uma interlocução com os setores da chamada economia real e já sai, antes mesmo de assumir, revelando preconceitos, criando uma indisposição com os setores. É um mau sinal. Ele precisa compreender adequadamente a natureza das demandas”.

Superministério da Economia
“Essa ideia de superministério foi adotada ao tempo do Governo Collor e não deu certo. O Brasil não precisa de um czar na economia. Evidentemente que a política econômica precisa de uma coordenação fina entre a política monetária, a política cambial, a política fiscal, mas no mundo inteiro os setores produtivos se representam através de um canal próprio no governo, o que não significa dizer que não passe por uma mediação do ministro da Fazenda. Os países desenvolvidos possuem um Ministério da Indústria, porque você tem que ter essa interface com o setor produtivo”.

Extinção do Ministério da Indústria e Comércio Exterior
“Você deixar de ter um canal de interlocução com o setor produtivo, secundarizar isso, é preocupante. O que é que será agora a área de indústria e comércio exterior? Vai ser uma secretaria vinculada a esse superministério da Economia. Você vai conferir poderes demais a esse ministro e vai tornar essa interlocução com os setores produtivos uma coisa secundária. Na experiência internacional, isso não existe. Então, eu lamento que essa questão possa ser resolvida de supetão. Essa figura do superministro não funciona, a meu ver, e lamento mais ainda que o ministro já chegue revelando tantos preconceitos. Eu lamento que isso possa ter sido decidido dentro de um grupo tão pequeno, sem ouvir os setores produtivos”.  

Importância do Ministério
“O ministério tem uma estrutura, tem uma área que trata de política industrial e de todo o atendimento das demandas do setor industrial, tem uma área de comércio exterior, tem uma Secretaria de Comércio e Serviço que trata da situação da atividade comercial no país. Você recebe (demandas) de toda parte... da política comercial em relação ao mundo, a negociação dos acordos comerciais, toda a política de defesa comercial, antidumping, para proteger setores da indústria de práticas desleais de comércio. Portanto, o Mdic tem uma estrutura que foi formada ao longo do tempo. É uma estrutura que atua fortemente na definição das políticas industriais, na gestão de todos os problemas na interlocução da indústria com o governo, na promoção dos acordos comerciais, na definição de políticas de defesa comercial e toda a interlocução também com o setor comercial brasileiro. É uma entidade que cumpre um papel muito importante, não estou dizendo isso porque fui ministro, é porque essa estrutura foi ao longo dos anos se fortalecendo”.

Fusão de Agricultura e Meio Ambiente
“Parece-me uma coisa totalmente equivocada. Você veja, por exemplo, meio ambiente não se refere apenas à Agricultura. Qualquer obra de infraestrutura passa por uma avalição de meio ambiente. Se você discute, por exemplo, saneamento, isso tem uma interface na área de meio ambiente. Portanto, você colocar essa área dentro do Ministério da Agricultura é algo que me parece extravagante, não tem realmente sentido”.

Fusões sem redução de gastos
“Essas reduções de ministérios, elas se apoiam em uma premissa que se revela ao final falsa, que é de que isso vai produzir uma grande economia na máquina pública. Na realidade, vão mudar as caixas. Essas estruturas dos ministérios que vão ser incorporados se transformam em secretarias, a estrutura permanece, e ao final essa economia não se confirma. Então, o que se faz é uma ação simplificadora que não resulta em ganhos de eficiência e desempenho da máquina pública”.

Ciro se diz traído por Lula

Ciro Gomes diz ter sido “miseravelmente traído” por Lula e reafirma que não deu apoio a Fernando Haddad no segundo turno porque não quer mais fazer campanha com o PT. Em entrevista à Folha, a primeira desde a eleição de Jair Bolsonaro, o ex-candidato do PDT confirma informação de bastidores da campanha: foi convidado a ser vice de Lula quando o PT ainda encenava a candidatura do ex-presidente preso.

“O lulopetismo virou um caudilhismo corrupto e corruptor que criou uma força antagônica que é a maior força política no Brasil hoje. E o Bolsonaro estava no lugar certo, na hora certa. Só o petismo fanático vai chamar os 60% do povo brasileiro de fascista. Eu não, de forma nenhuma”, declarou, num entrevista toda ela dedicada a bater no PT – mais que em Jair Bolsonaro.

Polícia Federal em várias cidades de Pernambuco


A Polícia Federal, desencadeou, nesta quarta-feira (31), a uma nova fase da Operação Abismo, que busca colher mais provas de crimes relacionados ao desvio de recursos do Instituto de Previdências dos Servidores do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. Foram emitidos dez mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva, de um empresário em Goiás. Segundo a PF, nesta quarta-feira, estão sendo apreendidos documentos, veículos, mídias de computador, dinheiro e materiais que possam subsidiar as investigações. Em Pernambuco, as buscas acontecem nos municípios do Cabo de Santo Agostinho e Jaboatão dos Guararapes; no Distrito Industrial de Suape e na praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca; e em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.

Pernambuco dá um péssimo exemplo para o Brasil

Resultado de imagem para Paulo Câmara e Humberto
A Assembleia Legislativa no dia de hoje votará em segunda votação a urgência do Projeto de Lei que extingue as delegacias de combate à corrupção no estado. Uma vergonha para o governo do PSB que mais uma vez leva o nosso estado ao cenário nacional com um ar de sermos um estado que abraça a impunidade e que não move uma palha sequer a favor de combater desmandados na gestão pública. 

Dos 49 deputados estaduais, apenas 4 votaram contra o projeto enviado pelo governador Paulo Câmara, 36 votaram a favor, incluindo dois deputados petistas: Tereza Leitão e Odacy Amorim, que embora tenham feito uma campanha de combate ao governo do PSB parecem ter encontrado uma agenda em comum. Na zona da mata pernambucana, o deputado Clodoaldo Magalhães (PSB) também votou favoravelmente ao projeto.

A indagação que fica é: Se esse projeto era tão urgente assim por que não apresentaram ele no começo do mês setembro? Pelo menos levantaria uma grande discussão a nível estadual sobre combater a corrupção. Este projeto aparece justamente na hora em que crimes de corrupção começam a bater à porta de aliados do governador Paulo Câmara na Região Metropolitana do Recife, leia-se principalmente o Recife. Uma vergonha para Paulo e para o PSB.

Confira como votou cada deputado estadual no PL que acaba com a delegacia de combate à corrupção


terça-feira, 30 de outubro de 2018

Alepe aprova projeto que extingue delegacias de combate à corrupção

Com apenas 4 votos contrários, o plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco, aprovou nesta terça-feira (30) o projeto de lei nº 2066/18 que tramitava em regime de urgência na Assembleia. O projeto visa alterar a estrutura organizacional da Polícia Civil da Secretaria de Defesa Social, extinguindo as Delegacias de Polícias de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos - Decasp e Crimes contra a propriedade imaterial - Deprim.

Os deputados Antonio Moraes (PP), Edilson Silva (PSOL), Priscila Krause (DEM) e Socorro Pimentel (PTB), votaram contra a proposta do Poder Executivo.

Educadores Físicos marcam protestos em todo o estado de Pernambuco

O Blog do Silvinho vem acompanhando a novela das eleições do Conselho Regional de Educação Física da 12ª Região (CREF12/PE) desde o início do estranho processo eleitoral.
Inicialmente, tentou-se barrar as chapas de oposição de disputar. Ambas (chapa 2 e 3) conseguiram na justiça o direito de participar. Agora a polêmica é a dificuldade para os profissionais de educação física votarem.
Os Profissionais de Educação Física, com mais de 01 (um) ano de registro ininterrupto no CREF/PE, poderiam votar de duas maneiras:
1) por comparecimento pessoal do Profissional de Educação Física, no dia 06 de novembro de 2018, exclusivamente, na sede do CREF/PE, Rua Carlos de Oliveira Filho, nº 135, Prado, Recife/PE, das 08hs às 17hs.
2) por correspondência, devendo o voto ser enviado para a Caixa Postal escolhida pelo CREF12/PE, devendo chegar até o dia 06/11/2018
O Regimento Eleitoral, criado pelo CREF12/PE, diz que as correspondências devem ser enviadas entre 30 e 35 dias antes das eleições. Entretanto, profissionais de todas as regiões do estado denunciam que, faltando uma semana para eleição, poucos profissionais do estado receberam as cédulas eleitorais. Eles recebem as revistas do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) e os boletos de pagamento das anuidades do CREF12/PE, mas a carta-voto, estranhamente, não chegou para a maioria esmagadora dos Profissionais de Educação Física de Pernambuco.
Várias prefeituras, clubes, escolas e academias já aderiram o movimento para liberar seus profissionais para votar. A expectativa é que todas as escolas, prefeituras e academias assinem o movimento em favor da democracia, a favor do voto e apoiem a participação dos Profissionais de Educação Física na 1º eleição, desde a criação do CREF12, com duas chapas na disputa.
A falta das cartas-votos praticamente inviabiliza o exercício do voto dos professores de educação física do interior do estado que terão que investir muito tempo e dinheiro para exercer seu direito de escolha na capital do estado (único local com urna para votação presencial). Percebe-se que o processo eleitoral é muito frágil e coloca em risco a lisura das eleições.
Outros conselhos profissionais utilizam ferramentas mais transparentes e eficientes, como votação eletrônica, urnas eletrônicas ou urnas em todas as regiões do estado. A falta das cédulas eleitorais (cartas-votos) e um único local de votação presencial dificulta bastante a participação nas eleições. Quem perde é a democracia!
“Aguardamos desde as 11h58min do dia 24 de setembro uma resposta sobre as cédulas eleitorais. Os profissionais de educação física e a sociedade precisam saber dos contratos junto aos Correios, relatórios, comprovantes de pagamentos, entre outras informações que garantam a lisura e transparência do processo eleitoral” informou o representante da chapa 2, Prof. Lúcio Beltrão.
Profissionais de Educação Física estão marcando protestos e outros atos na frente do CREF/PE e em locais públicos de todas as regiões de Pernambuco. É possível que Ministério Público e Poder Judiciário precisem intervir, mais uma vez, na polêmica e estranha eleição do Conselho Regional de Educação Física da 12ª Região (CREF12/PE).
Blog do Silvinho lembra que o CREF12/PE perdeu todas as disputas na justiça. Até agora já são cinco derrotas.

Projeto de lei quer extinguir delegacia de combate à corrupção em PE

Decasp fica no bairro da Boa Vista, no Centro do Recife — Foto: Reprodução/Google Street View
Um projeto de lei assinado pelo governador Paulo Câmara (PSB) e enviado à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) na última sexta-feira (19) propõe a extinção da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp). (Veja vídeo cima)

A Decasp foi responsável, nos últimos quatro anos, por 15 operações que resultaram em 49 presos, entre políticos e empresários envolvidos em esquemas de corrupção que, juntos, superam R$ 150 milhões.

O mesmo projeto de lei que decide acabar com a Decasp determina a criação, em caráter emergencial, do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco). Procurada, a assessoria de imprensa do governador não respondeu o que justifica “a adoção do regime de urgência”. A medida foi criticada pela Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe).

A Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação da Assembleia Legislativa deu, na última quarta-feira (24), parecer favorável ao projeto de lei. O texto, publicado no Diário Oficial, é assinado pelo relator, o deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB).

“Em face aos potenciais ganhos aqui descriminados, fundamentais para desarticulação de organizações e esquemas criminosos, cujas ações são de elevado impacto negativo à segurança da sociedade, entendemos ser de grande importância as alterações propostas”, diz o parecer.

A Decasp tem mais de 20 anos de história. À frente da delegacia desde 2015, a delegada Patrícia Domingos foi responsável por investigações contra desvios de recursos públicos no governo, em órgãos estaduais e em prefeituras.

“Não havia aqui uma cultura de combate à corrupção e essas operações de repressão qualificada estão conseguindo recuperar o patrimônio desviado. A primeira prisão de um prefeito em Pernambuco foi conosco. A primeira delação premiada também”, enumera.

Somente este ano, foram três operações: a Ratatouille, em março, que investigou fraudes de R$ 113 milhões no fornecimento de merenda escolar no Cabo de Santo Agostinho; a Ghost, no mês passado, que desbaratou um esquema de contratação de funcionários fantasmas na Câmara do Cabo, resultando no afastamento de cinco vereadores; e a Castelo de Farinha, no dia 11 deste mês, num inquérito que apurava coação a empresas que participariam de uma licitação de R$ 22 milhões para o fornecimento de merenda escolar em Ipojuca, vencida pela Casa de Farinha. O empresário Romero Fittipaldi Pontual Filho, um dos donos da Casa de Farinha, foi preso nesta última operação.

Patrícia Domingos afirma que só participou de uma reunião sobre a criação do Draco. E ressalta que em nenhum momento, neste encontro, falou-se que a Decasp, coordenada por ela, seria extinta. “É uma notícia que surpreende. Entendo que tenha havido algum equívoco. A Decasp deve ser preservada, por sua importância para Pernambuco”, pontua.

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco, Francisco Rodrigues, estranha o fato de o projeto de lei ter sido remetido à Alepe em “regime de urgência”. Segundo ele, a Decasp vinha funcionando de maneira efetiva. “Nos preocupa a pressa com que isso foi feito. É algo que precisa ser mais bem discutido. A extinção da Decasp traz prejuízo às investigações de corrupção no Estado”, pondera.

Outro ponto polêmico da medida proposta por Paulo Câmara e encaminhada à Assembleia Legislativa está no artigo 5 do projeto de lei. De acordo com o documento, o Departamento de Repressão ao Crime Organizado “será chefiado por delegado de polícia nomeado em comissão pelo governador do Estado”, o que não ocorre em nenhum outro departamento da Polícia Civil. “É uma coisa que destoa”, diz Rodrigues.

O presidente da Adeppe se reuniu na quarta-feira (24), na Secretaria da Casa Civil, com o secretário André Campos e o secretário-executivo Marcelo Canuto para discutir o assunto. Ele pede um debate maior sobre a Decasp e o Draco, inclusive com realização de audiência pública na Assembleia Legislativa.

Para a Secretaria de Defesa Social, as mudanças visam ao fortalecimento do combate ao crime organizado. “O que estamos buscando é aumentar esses números e ampliar esse trabalho, possibilitando que tenhamos mais operações. Queremos um departamento forte e duas unidades congregando as atribuições da Decasp, sem perder a qualidade e o compromisso com o combate à corrupção e ao desvio de recursos públicos”, frisa o secretário-executivo Humberto Freire.

Ele não confirmou se a delegada Patrícia Domingos fará parte da equipe da Draco. “As instituições não se pautam pensando em pessoas”, respondeu, ao ser questionado sobre o assunto. Procurado pela reportagem, o governador Paulo Câmara não quis se manifestar sobre o assunto.

Em nota enviada ao G1, a Polícia Civil afirma que o "projeto transforma a Descap em um Departamento, com duas delegacias. O que significa, na prática, um fortalecimento nas investigações contra crimes que desviam recursos do erário público. A primeira delas terá atuação na Capital e Região Metropolitana, enquanto a segunda, terá foco nas demais áreas do Estado".

O texto diz ainda que, caso o projeto seja aprovado, nenhuma das investigações em curso na atual Decasp será encerrada. "Serão fortalecidas, com o assessoramento de três Núcleos de Inteligência (hoje a Decasp possui um único) e mais recursos disponíveis, tendo o apoio de Delegacias contra a Ordem Tributária (Deccot), Repressão aos Crimes Cibernéticos (DPCRICI), de Polícia Interestadual e Capturas (Polinter e do Grupo de Operações Especiais (GOE), que também farão parte do novo Departamento".

(Portal G1)

Presidente do PT, Gleisi Hoffmann considera vitória de Bolsonaro, consolidação do golpe

Resultado de imagem para gleisi hoffmann
A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann disse que em coletiva de imprensa na sede do partido dos trabalhadores que a vitória de Jair Bolsonaro para a presidência da república é a consolidação de um golpe de estado que se iniciou com o impeachment da ex-presidente Dilma e logo após com a prisão de Lula.

O PT promete mobilizar a sua militância para fazer uma grande resistência.

Empresária Karla entra na disputa pela Prefeitura dos Palmares

Surge mais um nome disposto a entrar na disputa, a professora e empresária Karla Wancherline, proprietária do Dimensão, maior instituição de ensino particular do município.

Articulada e bem sucedida profissionalmente, Karla deve se apresentar como o novo na política palmarense. Ela contará com o apoio do deputado estadual recém-eleito Clóvis Paiva (PP), terceiro mais votado no município nesta eleição.

Catende: Prefeitura completa 2 meses de atraso dos contratados

Resultado de imagem para Salário
A Prefeitura de Catende, na mata sul de Pernambuco, está completando hoje (dia 30) dois meses de atraso para os funcionários contratados do município. A Prefeitura que até o momento pagou apenas aos servidores contratados da educação o mês de setembro disse em nota postada no facebook "que está tendo dificuldade em quitar os pagamentos do mês de setembro devido aos descontos realizados no FPM pelo INSS". A nota diz ainda que é compromisso do Prefeito Josibias Cavalcanti (PSD) que o pagamento seja realizado no mês trabalhado.

Entretanto, funcionários desta prefeitura, principalmente os dependentes exclusivamente deste serviço estão passando por sérias dificuldades. "Estou há dois meses sem receber e já tô com vergonha de passar na frente do mercado que eu faço compra.E disseram que agora vai sair só um mês eu nem sei o que vou fazer" disse um desses servidores que pediu para não ter seu nome revelado. Ele é funcionário contratado de Catende.

Segundo informações, o último pagamento realizado pela prefeitura de Catende para os funcionários contratados no geral aconteceu no dia 10 de setembro e era referente ao mês de AGOSTO deste ano. Segundo a Secretaria de Finanças da cidade, o FPM está vindo zerado todo dia 10, e que esses descontos já acontecem há 25 anos, devido a gestões anteriores na cidade. 


segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Sergio Moro vai aceitar convite de Bolsonaro

Resultado de imagem para Sergio Moro
O juiz Sérgio Moro disse a interlocutores que aceitaria de bom grado o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ser Ministro da Justiça bem como o convite para fazer parte do Supremo Tribunal Federal. A pessoas próximas, Moro disse que esta seria uma forma de dar mais segurança que o governo não ferirá princípios do estado democrático de direitos.

Informações de O GLOBO

Valeu, leitores!

Nesta última semana batemos um recorde! 500 mil acessos.
Quero agradecer a todos que leem o nosso Blog.
A partir desta Quinta-feira dia 1 de novembro, voltaremos com a nossa Coluna Diária do nosso Blog. Tirando um descanso depois de fazer a cobertura das eleições. Afinal, 2020 é logo ali...

Bivar assume comando do PSL


Daniel Carvalho e Talita Fernandes –Folha do S.Paulo
O deputado Luciano Bivar (PE) reassumiu a presidência do PSL, partido pelo qual Jair Bolsonaro foi eleito presidente da República neste domingo (28).
O comando da legenda estava sob o advogado Gustavo Bebianno Rocha. A troca foi oficializada nesta segunda-feira (29) em publicação no Diário Oficial da União. Figura onipresente ao lado de Bolsonaro, Bebbiano agora fica livre para ocupar um cargo no primeiro escalão do novo governo, a partir de 1º de janeiro de 2019. Ele é cotado para chefiar o Ministério da Justiça.
O capitão reformado tratou do tema durante entrevista ao SBT, nesta segunda (29). "Já estava acertado, ninguém poderia esperar que tivesse uma bancada tão grande como essa aí. O Luciano Bivar é, de fato, o presidente. O Bebianno fez um trabalho excepcional ao longo da campanha.", afirmou. "Todos nós sabemos, o Bivar sabe, o Bebianno sabe, que nós temos responsabilidade com 52 deputados eleitos. O partido tem que atender o seu fundo partidário a todos os estados que fizeram deputados e senadores."
A Comissão de Ética Pública, vinculada à Presidência da República, recomenda que presidentes de partidos não ocupem cargo de ministro.
Em 2007, a comissão recomendou ao então presidente Luiz Inácio Lula da Silva a exoneração de Carlos Lupi, ministro do Trabalho e também presidente do PDT.
Bivar já comandava o PSL, mas afastou-se com a chegada de Bolsonaro para que Bebianno assumisse. O deputado tem interesse de disputar a presidência da Câmara no ano que vem.


O presidente da República eleito, no entanto, já disse que gostaria que o comando da Casa ficasse com alguém de outro partido. 

Polícia Federal abrirá concurso para nível médio

Resultado de imagem para Policia Federal
Atenção concurseiros! O novo concurso PF 2018 Nível Médio pode chegar mais cedo do que se espera!

Isso acontece devido ao grande número de déficit dos policiais, inclusive no cargo de Agente Administrativo, sobrecarregando o serviço dos servidores e, por consequência, causando um problema na funcionalidade regular da instituição.

Atualmente, a Polícia Federal conta com concursos abertos nos cargos de Agente Policial, Delegado, Escrivão, Papiloscopista e Perito Criminal, com salários iniciais que chegam a R$ 22,6 mil!

O déficit total da corporação atinge o número de 13.300 servidores, sendo 5.300 do cargo de Agente Administrativo, segundo dados de Luis Antônio de Araújo Boudens, presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). O número de policiais que deixaram a corporação nos últimos anos é próximo de 4 mil, seja por aposentadorias ou outros motivos.

Segundo estimativa de Jones Leal, da Fenapef, o número de servidores da Polícia Federal deveria ser, no mínimo, quatro vezes maior, apenas nas regiões fronteiriças: “Nosso problema nas fronteiras é gravíssimo. Temos faixa de fronteira de 100 quilômetros sem nenhum policial, por onde entra e sai todo tipo de ilícito”. Ele continua: “Nós não fabricamos M16, não fabricamos AK-47, não fabricamos nenhum tipo de armamento pesado, e eles estão sendo apreendidos todo dia pelas polícias do nosso país”.

Concurso PF 2013 Nível Médio

O último concurso para o cargo de Agente Administrativo aconteceu no ano de 2013, vencendo neste ano de 2018. O cargo tem a exigência de nível médio completo e os salários eram de R$ 4.270,77.

As provas cobraram conteúdos de Língua Portuguesa, Noções de Informática, Raciocínio Lógico, Atualidade, Noções de Direito Administrativo, Noções de Direito Constitucional e Conhecimentos Específicos, com as disciplinas de Noções de Administração Pública, Noções de Administração Financeira e Orçamentária, Noções de Gestão de Pessoas nas Organizações, Noções de Administração de Recursos Materiais, Noções de Arquivologia, e Legislação Aplicada à Polícia Federal.

Os aprovados foram lotados nos estados do Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Secretaria da Fazenda de Pernambuco diz em nota que IPVA 2019 não será antecipado

Resultado de imagem para IPVA
A Secretaria da Fazenda de Pernambuco (Sefaz-PE) esclarece que é falsa a informação de que o pagamento do IPVA 2019 será antecipado para janeiro. A programação financeira dos contribuintes pernambucanos é um dos compromissos do governador Paulo Câmara. O calendário oficial será publicado em breve, com o vencimento da primeira parcela no mês de fevereiro, assim como ocorre desde 2017.  A Sefaz-PE reforça que está descartado qualquer aumento de alíquota e que o desconto de 7% para os pagamentos em cota única está mantido.

Paulo deve sofrer com falta de dinheiro do Governo Federal

Resultado de imagem para Paulo Camara
O Governador Paulo Câmara deve enfrentar grandes entraves no governo Jair Bolsonaro (PSL) tal qual Miguel Arraes (PSB) sofreu de Fernando Henrique Cardoso de 1995 a 1998. 

"No que o governo federal poder ajudar o estado de Pernambuco sem a interferência do governo estadual, tudo bem, vamos fazer muita coisa. Mas no trato com a governo do estado só o básico do básico" disseram algumas pessoas ligadas ao novo presidente. Este fato teria sido relatado a imprensa estadual.

Uma das coisas que deverá sofrer um reajuste positivo já no ano de 2019 é o programa Bolsa Família. "Mas não vamos montar palanque e nem dar combustível a governos não aliados ou adversários declarados", disse uma fonte ao Blog.

Vale ressaltar que o tratamento não é apenas a Pernambuco, mas a todos estados cujos governadores são declaradamente adversários.

Paulo emite nota sobre vitória de Bolsonaro

Nota oficial

Espero que o presidente eleito Jair Bolsonaro governe para todos, respeitando a Constituição Federal, as instituições democráticas e a Federação. A retórica agressiva deve ficar no passado. Bolsonaro precisa ser presidente de todos e não apenas de uma parcela do Brasil.

Quero também elogiar o desempenho irrepreensível de Fernando Haddad, que foi um guerreiro, correto, leal e que fez o que esteve ao seu alcance nessa curta campanha eleitoral.

Torço para que Haddad se mantenha atuante, pois é um importante quadro político que tem muito ainda a oferecer ao Brasil.

Governador Paulo Câmara

Prédio da Assembleia de Deus é pichado em Moreno

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

O Prédio de Igreja Assembleia de Deus foi alvo de atos de vandalismo na noite deste domingo na cidade de Moreno, RMR. 
Com os dizeres "Bolzonaro viado, LGBT porra" pessoas desconhecidas picharam a frente e ao redor da igreja num ato de desrespeito e de vandalismo, e ainda colocaram na pichação a sigla "PT".
O fato aconteceu no distrito de Bonança.

Bruno Araújo cotado para uma secretaria no governo Doria

Resultado de imagem para Bruno Araujo e Joao Doria
O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB) que deve liderar aí uma grande frente para reconstruir o PSDB no Brasil, deve contar com o apoio e o trabalho de Bruno Araújo em uma secretaria que lhe dê visibilidade eleitoral para 2022. 
O nome do ex-ministro das Cidades tem sido lembrado por Doria e equipe pelo trabalho realizado desde 2017 e as parcerias feitas enquanto João Doria era prefeito de São Paulo.
Bruno está tendo o seu nome preparado para a disputar o governo do estado em 2022, na sucessão do governador reeleito Paulo Câmara.

Mata Sul: Prefeitos estão pensando no governo Bolsonaro

Resultado de imagem para Jair Bolsonaro
Com cidades totalmente dependentes do FPM, de emendas e de verbas públicas para o seu desenvolvimento, diversos prefeitos da mata sul pernambucana e assim estendo para os mais diversos municípios do estado estão com medo de ficarem com às mãos atadas e assim atrapalhar seus planos de reeleição ou até mesmo de eleição dos seus sucessores em 2020. O motivo é simples: A agenda econômica defendida por Bolsonaro requer um freio no ano de 2019 e pouco aceleramento em 2020.

Isso inviabiliza de cara os projetos daqueles que querem se reeleger e vão contar com recursos escassos no ano de 2019 que será um ano de arrumação nas contas brasileiras. Isto atinge em sua maioria os governos de cidades pequenas e dependentes de FPM. Não é retaliação, é freio de arrumação. Em 2003, quando Lula assumiu diversos convênios foram paralisados para colocar a casa em ordem. Com Bolsonaro não será diferente! O caso é que o plano de governo econômico de Jair Bolsonaro requer mais empenho e um 2019 difícil. 

Eduardo Leite é eleito governador do Rio Grande do Sul

Aos 33 anos, Eduardo Leite (PSDB) está matematicamente eleito como governador do Rio Grande do Sul, com 53,08% das urnas apuradas. Natural de Pelotas, ele foi prefeito do município de 2013 a 2017.

Leite é o governador mais novo do estado desde a redemocratização. Ele disputava a eleição em 2018 contra o atual governador do RS, José Ivo Sartori (MDB), que conseguiu 46,92%. Os números se referem ao apurado de 89,14% das urnas.

O discurso de Haddad depois da derrota


Na manhã deste domingo (28), Fernando Haddad (PT)recebeu alguns de seus mais antigos assessores em casa. Ciente de que o mais provável era a derrota, o petista pediu para que não o abandonassem, pois via risco de ser alvo de uma tentativa de isolamento no PT.
Os aliados disseram a Haddad, em resposta, que qualquer que fosse o resultado ele havia vencido, pois sairia maior da disputa. O candidato disse que precisaria de ajuda para enfrentar “o que vai vir pela frente”, abraçou os amigos e chorou.
 O discurso forte de Haddad após a derrota animou ala do PT que pretende chamar uma reunião na terça (30), em SP, para discutir a formação de uma frente com outros partidos. Há divisão, porém, não só na esquerda como entre os próprios petistas, sobre o rumo a seguir.(Painel)

domingo, 28 de outubro de 2018

Trump para Bolsonaro: “Vamos ser grandes parceiros”

Resultado de imagem para Donald Trump
Jair Bolsonaro acaba de falar com Donald Trump por telefone. “Vamos ser grandes parceiros”, disse o presidente americano, que também lhe desejou “boa sorte”.

Bolsonaro agradeceu.

(O Antagonista)

Jair Bolsonaro é o novo Presidente

Resultado de imagem para Jair Bolsonaro
Pesquisas de Boca de Urna apontam uma vitória esmagadora de Jair Bolsonaro (PSL), eleito o 38º Presidente da República Federativa do Brasil.

Jair Bolsonaro (1955) é capitão da reserva do Exército e político brasileiro. Exerce seu sétimo mandato de deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro.

Jair Messias Bolsonaro nasceu em Campinas, São Paulo, no dia 21 de março de 1955. Filho de Perci Geraldo Bolsonaro e de Olinda Bonturi, ambos descendentes de famílias italianas. Foi aluno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, de Campinas. Em 1977 formou-se na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, Rio de Janeiro. Cursou a Brigada de Paraquedismo do Rio de Janeiro. Em 1983 formou-se no curso de Educação Física do Exército. Chegou à patente de Capitão.

Carreira Política
Em novembro de 1988, Jair Bolsonaro foi eleito para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo Partido Democrata Cristão (PDC). Em outubro de 1990, foi eleito deputado federal pelo PDC. Renunciou o mandato de vereador e tomou posse na Câmara dos Deputados em 1991. Em 1993, participou da fundação do Partido Progressista Reformador (PPR), nascido da fusão do PDC e do Partido Democrático Social (PDS).

Em 1994 foi reeleito e na sua candidatura, a sua plataforma de campanha incluía a luta pela melhoria salarial para os militares, o fim da estabilidade dos servidores, a defesa do controle da natalidade e a revisão da área dos índios ianomâmis.  Foi mais uma vez indicado para a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara. Em 1995 filia-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB), resultado da fusão do PPR com o PP.

Em 1998, exercendo seu terceiro mandato de deputado, se candidatou ao cargo para presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Em 2002, foi eleito pela quarta vez ao cargo de deputado federal pelo PPB, mas nesse mesmo ano, filia-se ao PTB. No início de 2005 deixa o PTB e filia-se ao PFL. Em abril, deixa o PFL e filia-se ao Partido Progressista (PP). Em 2006 é eleito para seu quinto mandato. Assume a titularidade das comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania, de Relações Exteriores e de Defesa Nacional e de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado.

Em 2014, Jair Bolsonaro foi reeleito para o seu 7º mandato. Em março de 2016, filiou-se ao PSC, em 2017 esteve em negociações com o Patriotas (PEN). Em 2018 a sua candidatura à Presidência do Brasil foi feita através do PSL.

Família
Jair Bolsonaro foi casado com a vereadora Rogéria Nantes Nunes, entre 1993 a 2001. Juntos tiveram três filhos: Carlos Bolsonaro (vereador do Rio de Janeiro), Flávio Bolsonaro (deputado estadual do Rio de Janeiro) e Eduardo Bolsonaro (deputado federal por São Paulo). Foi também casado com Ana Cristina Vale, com quem teve um filho. Em 2013 casou-se com Michelle, e com ela tem uma filha.

Atentado a Bolsonaro

No dia 6 de setembro de 2018, Jair Bolsonaro foi esfaqueado no abdômen no momento em que estava no meio de uma multidão fazendo campanha eleitoral na cidade mineira de Juiz de Fora. Bolsonaro foi levado para a Casa de Misericórdia, onde se submeteu a uma cirurgia. A facada atingiu o intestino delgado e o intestino grosso. Depois da cirurgia, Bolsonaro foi transferido para o Hospital Albert Einstein em São Paulo. No dia 13, depois de diagnosticado com aderência no intestino, Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia de emergência e encontra-se em recuperação. O agressor foi preso e levado para a Polícia Federal para prestar esclarecimentos.

Waldez (PDT) é reeleito governador do Amapá

Fátima Bezerra, do PT, é eleita governadora do Rio Grande do Norte

Comandante Moisés (PSL) é eleito governador de SC

Presidente: 67% das urnas apuradas

O resultado só será divulgado às 19 horas, e até o momento 67% das urnas apuradas para Presidente da República. A demora na divulgação é a espera que termine a votação no Acre.

Ibaneis Rocha, do MDB, é eleito governador do Distrito Federal

Ibaneis vota no DF — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo
O advogado Ibaneis Rocha, do MDB, foi eleito neste domingo (28) governador do Distrito Federal pelos próximos quatro anos.

O resultado foi confirmado pelo sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 17h35, quando 80,99% das urnas já estavam apuradas. Assim como no primeiro turno, o DF foi o primeiro a confirmar o resultado da eleição para governo local.

Às 17h40, com 88,27% das urnas apuradas, Ibaneis somava 925.293 votos – o equivalente a 70,20% dos votos válidos. Rollemberg tinha 392.845 votos, ou 29,80% do total.

Veja o resultado da apuração: em todo o DF; por cidade; por zona eleitoral
Nesse mesmo horário, o TSE contabilizava 119.367 votos nulos e 51.369 votos em branco para governador no DF. Somados, eles correspondiam a 11,47% dos votos totais.

Ibaneis eleito governador no Distrito Federal

O emedebista Ibaneis foi eleito Governador do Distrito Federal.

BOCA DE URNA

São Paulo: Doria(PSDB) 52 x 48 Márcio França(PSB)
Rio de Janeiro:  Witzel, 55%; Paes, 45%

MG, boca de urna: Zema, 66%; Anastasia, 34%
DF, boca de urna: Ibaneis, 69%; Rollemberg, 31%

Olho no voto: Expectativa

Expectativa para a divulgação das pesquisas boca de urna.
17:00 - Divulgação das pesquisas boca de urna para governador.
19:00 - Divulgação das pesquisas boca de urna para presidente

Ministra Rosa Weber teve segurança reforçada para votar

Rosa Weber
A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, chegou na Escola Parque da 313 Sul, em Brasília, para votar por volta das 13 horas deste domingo (28). Diferentemente do primeiro turno, apesar do clima de tranquilidade no local, além do segurança do TSE que a acompanha, a escolta foi reforçada por uma policial federal.

Rosa Weber entrou na sala de votação sorridente. Cumprimentou eleitores, mesários e o presidente da seção. “Festa bonita da democracia, muito bem organizada. Imprensa bonita”, disse quando estava na seção de votação. Na saída, após votar, perguntada se estava aliviada com o clima de tranquilidade na votação do segundo turno, a presidente do TSE respondeu: “Dá uma sensação de alegria. Uma festa da democracia. Trabalho realizado, mais um passo”. A ministra fará um balanço das eleições às 20h no TSE.

Histórico
A ministra teve a segurança reforçada após a divulgação de um vídeo no último dia 22 no Youtube, no qual um homem que se identifica como coronel Carlos Alves se refere a Rosa Weber como "salafrária e corrupta” e critica outros integrantes do STF.

Na gravação, ele se refere ao dia em que Rosa Weber recebeu integrantes do PT que pediram a aplicação de medidas cautelares urgentes para investigar notícias de que empresas em prol do presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, estariam pagando por serviços de disparos de mensagens em massa anti-PT e seu candidato à Presidência, Fernando Haddad, via WhatsApp.

"Se ela [Rosa Weber] fosse uma mulher séria, patriota e se ela não devesse nada a ninguém, ela nem receberia essa cambada no TSE", diz o coronel no vídeo. Ele ainda afirma que se "você aceitar essa denúncia ridícula e tentar tirar Bolsonaro por crime eleitoral, vamos derrubar vocês aí sim, porque aí acabou". Nesta semana, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) pediu que a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigasse a conduta do militar. Na última quinta-feira (24), a Polícia Federal (PF) instaurou inquérito para investigar o caso.

Hadadd vota em São Paulo e faz sinal da vitória

Fernando Haddad vota no segundo turno das eleições
O candidato do PT a Presidência da República, Fernando Haddad, votou pouco antes das 10h30 deste domingo (28) em uma escola na zona sul de São Paulo ladeado por apoiadores que, com flores e guarda-chuvas coloridos, cantavam e gritavam palavras de ordem de apoio ao petista.

Alguns opositores, moradores de prédios vizinhos ao colégio eleitoral, saíram nas suas varandas e bateram panela em oposição ao postulante. Haddad disse estar "esperançoso" com o que chamou de uma "forte tendência de alta" nas pesquisas. Segundo o petista, há muita gente nas ruas "para defender o Brasil e a democracia".

"Sinto nas ruas do Brasil muita militância cidadã, cidadãos comuns indo às ruas para defender o Brasil e a democracia", disse o presidenciável. "Estamos com uma forte tendência de alta, estou muito esperançoso de que vamos ter um grande resultado hoje à noite", completou.

Haddad aposta no discurso de que é possível reverter a vantagem de dez pontos que seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), tem sobre ele de acordo com a pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (27). Os dados mostram o capitão reformado com 55% dos votos válidos contra 45% de Haddad -a diferença caiu de 18 para 10 pontos em nove dias.

"Meu sentimento é que hoje o que está em jogo é a democracia no Brasil. O país está numa encruzilhada e o projeto de nação que representamos ganhou as ruas nessa última semana", afirmou Haddad. Antes de votar, o candidato do PT participou de um café da amanhã com dirigentes petistas e aliados. Deve passar parte da tarde em casa, com a família, e acompanhar a apuração em um hotel na zona sul da capital paulista.

Paulo vota na Zona Norte e diz acreditar na vitória de Haddad


Blog da Folha
O governador Paulo Câmara (PSB), reeleito no primeiro turno, votou, na manhã de hoje, no Centro de Educação Comunitária e Social do Nordeste (CECOSNE), na Madalena. Por volta das 9h30, Câmara chegou acompanhado do prefeito da cidade do Recife, Geraldo Julio (PSB), da deputada federal Luciana Santos (PCdoB), da esposa, e de partidários.
"Nosso candidato está tendo um crescimento consistente nos últimos dias. O Nordeste está muito unido, com certeza, vai dar uma grande vitória a Fernando Haddad", disse o governador reeleito.
Paulo Câmara deve acompanhar a apuração dos votos no fim do dia na casa de amigos. Sobre o futuro presidente, ele ressaltou que o diálogo com os governadores seja aberto. "O presidente tem que conversar com os governadores, isso faz parte da federação, e a gente espera que seja feito de forma correta, olhando para o Brasil por inteiro, olhando as regiões e suas particularidades", pontuou. "O desafio do próximo presidente é diminuir as desigualdades, fundamental para o Brasil que a gente quer", acrescentou o governador.

Eleito, Bolsonaro deve viajar a Brasília


Folha de S. Paulo - Coluna Painel

Por Daniela Lima


Se for eleito neste domingo (28), Bolsonaro deve viajar já na terça (30) a Brasília, segundo aliados, para ter encontros com o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, com o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, e com o presidente Michel Temer (MDB). O candidato vai assistir à apuração dos votos em casa.

Dirigentes de partidos do centrão fizeram chegar a aliados de Jair Bolsonaro o incômodo do grupo com acenos do presidenciável a integrantes do DEM para a composição de um possível governo. Disseram que se ele não abrir espaço para as outras siglas do bloco, não conseguirá governar.

Um integrante do grupo sugeriu, inclusive, que Bolsonaro fizesse a fusão do Ministério da Indústria e Comércio com o do Turismo. Seria uma forma, disse o cacique, de compensar o recuo na proposta de juntar a Indústria e a Fazenda.

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, diz que, assim que for anunciado o resultado da apuração no domingo (28), Bolsonaro deveria começar a atuar por uma “recostura da sociedade brasileira”. “Ninguém consegue governar apenas para a metade do país”, diz.

Jair Bolsonaro votou às 9:15


O candidato a presidência da república pelo PSL, votou hoje às 9:15 da manhã na Barra da Tijuca sob forte esquema de segurança.

sábado, 27 de outubro de 2018

IBOPE: Bolsonaro, 54%; Haddad, 46%

Imagem relacionada
O Ibope divulgou neste sábado (27) a última pesquisa do instituto sobre a intenção de voto para o 2º turno da eleição presidencial. Segundo o instituto, Jair Bolsonaro (PSL) venceria se eleição fosse hoje. Mas a distância dele para Fernando Haddad (PT) diminuiu.

Vamos ver agora a pesquisa com os votos válidos, que excluem os brancos, nulos e o percentual de eleitores indecisos. Um candidato é eleito no segundo turno se conseguir cinquenta por cento dos votos válidos mais um voto.

A probabilidade de os resultados retratarem a realidade é de noventa e cinco por cento, com margem de erro de dois pontos - para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 54%
Fernando Haddad (PT): 46%
Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 57% e Haddad, 43% dos votos válidos.

Sobre a pesquisa
Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Entrevistados: 3.010 eleitores
Quando a pesquisa foi feita: 26 a 27 de outubro
Registro no TSE: BR‐ 02934/2018
Nível de confiança: 95%
Contratantes da pesquisa: TV Globo e "O Estado de S.Paulo"

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.