domingo, 10 de fevereiro de 2019

Governo do PSB boicota governo Raquel Lyra

Resultado de imagem para Raquel Lyra e Paulo Câmara
Caruaru é uma cidade que sempre costuma eleger aliados de quem está no Governo. Para não irmos muito longe, vamos falar de 1996 para cá.
Em 1996 quem estava no governo era Arraes, ex-governador do PSB. Arraes elegeu João Lyra também no PSB. 
Em 1998 Jarbas se elegeu governador e colocou Tony Gel na prefeitura tanto em 2000 quanto em 2004.
Em 2006, Eduardo se elegeu governador e ajudou a eleger Zé Queiroz tanto em 2008 como a reelegê-lo em 2012. 
Eis que surge Paulo Câmara em 2014 que simplesmente tomou partido em Caruaru defendendo a candidatura de Tony Gel para prefeito e simplesmente não obteve sucesso. Raquel Lyra, filha do ex-governador João Lyra se elegeu quebrando uma antiga tradição de que o governador elege o prefeito de Caruaru.

Paulo Câmara e o seu partido nem engoliram e tampouco digeriram bem a derrota sofrida na cidade de Caruaru no ano de 2016 pelo fato de ter o poder econômico nas suas mãos e mesmo assim não ter conseguido sagrar-se vitorioso e eleger alguém de seu grupo, de sua confiança. Vamos aos fatos: O PSB forçou a candidatura de Jorge Gomes, vice-prefeito por oito anos e teve seu pior desempenho na cidade ficando em quarto lugar, mesmo com o apoio do governo do estado e da prefeitura. No segundo turno, o governo do estado abraçou-se com Tony Gel (MDB), única saída que restara ao PSB e o prefeito Zé Queiroz (PDT) que disse que "Tony Gel representava o atraso" anunciou apoio a Raquel Lyra. Pois bem, dois anos após e Zé Queiroz já mudou de opinião e pensa que Tony Gel pode sim representar o futuro. Já Tony Gel diz que Zé Queiroz precisa ter sua história respeitada, mesmo tendo dito todos os impropérios contra o prefeito (na época). 

Raquel venceu e desde então o governador trabalha dia e noite para derrotá-la no ano que vem. Não o fez tão rápido porque contava com um aceno de Raquel em 2018, aceno que não veio, sobre sua reeleição. Raquel sustentou a palavra e apoiou Armando. Foi o necessário para que Paulo já colocasse toda sua força contra a prefeita. Já "acomodou" a ex-deputada derrotada Laura Gomes na Secretaria de Desenvolvimento Social e tem mais "em um cargo que dá para acomodar toda sua equipe". Ou seja, o governo do estado agora tá servindo de cabide de empregos para quem é derrotado nas eleições. Tony Gel teve que engolir seco a indicação de Alberes Lopes para uma secretaria estadual que acomodasse os Queiroz, mesmo os Queiroz tendo feito uma oposição de mentirinha na campanha para tentar tirar votos de Armando Monteiro na cidade.

Programas de governo do estado de Pernambuco, assinatura de convênios estaduais, verbas públicas de Pernambuco direcionadas a Caruaru, diminuíram em um número bastante significativo como nunca antes na história de Caruaru e Pernambuco. O governador culpa a crise econômica. Mas parece que a crise para tais "boicotes"  só existe de fato para governos municipais que tenham prefeitos de partidos oposicionistas e Caruaru tem sido a principal. Vou citar um desses boicotes: Em junho de 2018, o governo do estado ainda não tinha passado o recurso do São João de 2017! Este fato foi tornado público inclusive por esse blog. Vale lembrar que no início de janeiro, cães de guarda do PSB vieram a público criticar o ex-governador João Lyra Neto (PSDB), mas parece que o gato engoliu-lhes às línguas que não escreveram um "A" sobre a ausência de Paulo Câmara no encontro com o Ministro Sérgio Moro, por exemplo. 

No próximo ano, Caruaru irá escolher se vai eleger um candidato da oposição ou se vai se render ao boicote de Paulo Câmara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário