quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Propina à Petrobras também no governo FHC


Propina à Petrobras também no governo FHC
Para assegurar que ganharia contratos com o Brasil no Governo de Fernando Henrique Cardoso, o estaleiro de Cingapura, Keppel Fels, um dos maiores do mundo, afirmou que pagou propina à Petrobras. O objetivo do suborno foi para a construção da plataforma P-48 da estatal.
A notícia foi divulgada ontem pelo jornal “Folha de São Paulo”. Segundo a publicação, o suborno de US$300 mil teria sido pago em 2001 e 2002 para “funcionários do governo”, de acordo com o documento que está no Departamento de Justiça dos Estados Unidos.
No acordo de leniência, consta ainda que o Keppel Fels pagou um total de US$ 55,1 milhões ao PT e executivos da Petrobras ligados ao partido entre 2003 e 2012. O montante equivale a R$182,6 milhões em valores atuais. O estaleiro fez esse tipo de acordo com Brasil, Estados Unidos e Cingapura e pagou uma multa de R$1,4 bilhão. O valor pago durante o governo FHC chegou a US$ 800 milhões.
Essa não é a primeira vez que delatores falam em propina na Petrobras durante o governo FHC. Barusco já chegou a dizer que recebeu suborno em 1997 ou 1998 da multinacional holandesa SBM.
O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró afirmou que a Petrobras rendeu um total de US$ 100 milhões em propina para o governo FHC, sem apresentar provas. Cerveró conta ainda que o ex-senador Delcídio do Amaral, que era diretor de Gás na Petrobras no governo FHC e depois se tornou líder do PT no Senado, recebeu propina para fazer contratos de termoelétricas no valor de US$ 500 milhões, mas disse não saber o valor do suborno.

(Magno Martins)

Nenhum comentário:

Postar um comentário