quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

MPPE, CGU E POLÍCIA CIVIL Operação tenta desarticular grupo criminoso que desviou recursos da Prefeitura de Quipapá

Operação tenta desarticular grupo criminoso que desviou recursos da Prefeitura de Quipapá. Foto: Polícia Civil/ DivulgaçãoO Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU) e Polícia Civil cumprem, na manhã desta quinta-feira, quinze mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Gênesis. O objetivo é desarticular uma organização criminosa que, segundo apontam as investigações, seria responsável por fraudes em licitações para contratação de serviços pela Prefeitura de Quipapá, na Mata Sul do Estado.

Dados preliminares apontam que, somente em Quipapá a quantia de dinheiro desviado pelo esquema chega a R$ 18 milhões, dos quais R,5 milhões seriam de recursos federais. De acordo com as investigações, o modus operandi do grupo inclui a atuação coordenada de empresas e agentes públicos para direcionar os processos licitatórios, assegurando que os contratos sejam firmados com empresas fantasmas.

Além de Quipapá, também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão nas cidades de Garanhuns, Correntes, Terezinha, Caruaru e Recife. A operação conjunta mobiliza um total de 70 policiais civis, doze integrantes do Grupo de Apoio Especializado ao Combate às Organizações Criminosas do MPPE (Gaeco) e oito servidores da CGU.

Nenhum comentário:

Postar um comentário