terça-feira, 27 de novembro de 2018

Bancada evangélica definirá nome do ministro da Cidadania

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pediu à bancada evangélica no Congresso para indicar o titular do futuro Ministério da Cidadania, que reunirá os ministérios dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Social. Repete-se assim um procedimento adotado para a definição da ministra da Agricultura, deputada Tereza Cristina (DEM-MS), escolhida pela bancada ruralista.

A bancada evangélica recebeu a incumbência na tarde desta terça-feira (27), em encontro de aproximadamente uma hora de duração, realizado no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde funciona o governo de transição. Bolsonaro deu apenas um aviso: o indicado não pode responder a acusações criminais. “Não queremos réu”, afirmou.

Um dos programas mais cobiçados do novo ministério é o Bolsa Família, criado pelo governo Lula e que beneficia mais de 13,5 milhões de famílias. Na conversa com os parlamentares, Bolsonaro disse que auditorias em curso estão identificando várias fraudes no pagamento do benefício. Fiscalizar com mais rigor a aplicação dos recursos é uma das recomendações que o presidente eleito tem para a área social. Na campanha eleitoral, ele prometeu pagar décimo terceiro salário aos beneficiários do Bolsa Família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário