sábado, 28 de julho de 2018

A neta de Arraes é um fenômeno; o filho de Eduardo não!

Resultado de imagem para Marília Arraes
Até alguns meses atrás, o nome que mais se falava era o do filho de Eduardo Campos que pretende entrar na vida política após a morte do pai. O PSB e seus prognósticos de dar a João Campos pelo menos 300 mil votos para fazê-lo chegar à Câmara Federal com uma votação significativa. Pois é, João Campos simplesmente desapareceu dos noticiários. Quem está ocupando-o é Marília Arraes, sua prima e pré-candidata a governadora pelo PT. Hoje não se tem mais dúvidas de que a neta de Arraes é um fenômeno eleitoral que foi criado naturalmente. João Campos não, embora seja filho de um primo de Marília, (Eduardo Campos)João não consegue empolgar como seu pai empolgou, como seu bisavô empolgou, como sua avó Ana empolgou.

Alguns interlocutores do PSB dizem que a candidatura de João Campos embora tenha sucesso tendo em vista que ele será eleito, pois não fazem para ele uma campanha de deputado mas de candidato majoritário, está longe de se concretizar com a expectativa de votos que foi pensada ainda em 2016. João Campos era a estrela da campanha de 2014, hoje não passa de mais um candidato que tem a máquina a seu favor, diferente de Marília, sua prima que é um fenômeno por onde passa, como a "neta de Arraes". 
Resultado de imagem para João Campos
Além disso, pesa contra o filho de Eduardo o fato de ter "forçado" alguns apoios políticos a alguns amigos seus pré-candidatos a deputado estadual e ainda por cima,de ter invadido às bases de muitos aliados históricos de seu pai. "João conseguiria se eleger tranquilamente sem precisar passar por cima de ninguém. Não precisaria dessa forçada de barra que ele está fazendo" disse um dos que acreditam que João Campos está "mais preocupado com sua eleição para federal do que com o grupo político que ele representa". Por outro lado, Marília é a estrela ascendente da família Arraes. 

A luta do PSB pelo apoio do PT pode não ter um efeito na campanha eleitoral de Marília. Enquanto o PSB tratou de colocar a data de sua decisão lá para frente a fim de prejudicar às prováveis alianças políticas de Marília Arraes, ela não desistiu e foi para luta com toda sua militância e já garantiu o apoio do AVANTE de Silvio Costa e do PROS de João Fernando, e provavelmente receberá o apoio esta semana após a oficialização de sua candidatura de pelo menos mais dois partidos que está sendo costurado nos bastidores. Mesmo indo para uma campanha eleitoral com dois candidatos que tem mais de dez partidos em suas respectivas coligações, Marília Arraes mete medo nas duas candidaturas pela força e pelo fenômeno que tem se tornado, reconhecido inclusive por seus adversários internos. 

A grande diferença: Enquanto o Palácio trabalha por João Campos como se fosse um candidato da majoritária investindo em seu nome para que ele possa crescer, faz a mesma coisa com Marília só que ao inverso: O Palácio está pagando caro para conter o crescimento de Marília. 
Nos bastidores, João Campos evita falar da candidatura da prima Marília, mas reconhece do perigo de tê-la como adversária na briga pelo Palácio. E o pior, João sabe que se a Nacional entregasse de bandeja o PT ao PSB, Marília Arraes seria candidata a deputada federal e teria mais votos do que ele, pois passaria a absorver o voto da revolta e do repúdio de quem acompanha passo a passo a luta para tirá-la do jogo. Antigamente isto era feito tão nos bastidores que ninguém nem percebia, hoje é visto a olho nu e está ficando feio para Paulo e para o PSB.

Resultado de imagem para Renata Campos
Ainda de acordo com conversas de bastidores, Renata Campos não teria como comemorar a vitória do filho caso se confirmasse duas coisas: A ida de Marília Arraes para o segundo turno e a vitória de Antonio Campos, o Tonca, do PODEMOS para a Assembleia Legislativa. Para dona Renata "seria uma vitória e tanto a derrota desses dois". Não precisamos de muitas provas para confirmar que tem às mãos e os pés de Renata nas tratativas da retirada do nome de Marília Arraes da campanha pelo governo do estado. A mesma atuou e atua. Ou já esqueceram do dia que ela mesma se reuniu com o ex-presidente Lula "devolvendo a cortesia" que Lula fez no estado ao visitá-la?
Renata foi levar Paulo a Lula e pedir por tudo para que não deixasse Marília ser candidata:
Imagem relacionada

Marília Arraes vem se tornando um fenômeno! Ela está vencendo com a militância do PT em Pernambuco um grande desafio, e em tendo seu nome confirmado passará a ser a grande favorita na disputa. Se estiver no segundo turno, contará com o apoio da oposição ao seu nome. Se não estiver, com certeza dará o apoio. Mas se a candidatura de Marília, chegou até onde chegou mostra o fenômeno eleitoral existente hoje em Pernambuco. Desconhecida, passa a ser conhecida e a crescer. Crescendo, pode se tornar a primeira mulher a governar Pernambuco. O fenômeno Arraes, neta de Arraes, a menina, seja como quiser chamá-la está metendo medo em tudo e em todos. E, falando francamente: Se o PT nacional não a quisesse e se Lula não a quisesse como candidata, ela já teria sido rifada. 

Uma coisa é certa: O nome de Arraes e de Eduardo Campos estão de volta ao cenário político de Pernambuco. E desta vez, o de Arraes está mais forte, uma mistura da campanha de 86 com a de 89 (de Lula). Marília conseguir ser candidata será uma batalha vencida, na campanha, o PSB vai tentar miná-la usando a propaganda política.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário