sexta-feira, 22 de junho de 2018

DEM quer proibir fake news sobre Mendonça

   O presidente estadual do Democratas, José Fernando Uchôa, entrou no Tribunal Regional Eleitoral com uma representação eleitoral contra a propaganda irregular por fake News, pedindo a imediata remoção de postagens inverídicas e ofensivas contra o deputado federal e pré-candidato a senador pelo Democratas, Mendonça Filho, publicadas nas páginas do facebook pelos advogados André Luiz Barreto Canuto, dirigente da OAB/PE, e José Maria da Silva, professor de direito da Universidade Católica de Pernambuco. “A fake news tem mobilizado instituições como o Tribunal Superior Eleitoral no combate a essa prática danosa à democracia. É inaceitável que advogados, dirigentes da OAB e professor do direito reproduzam essa prática, quando deviam combatê-la como cidadãos e profissionais da lei”, afirmou José Fernando Uchôa.
   O advogados André Luiz Barreto Canuto e José Maria da Silva usaram suas contas no Fabebook para propagar notícias falsas contra o deputado Mendonça Filho publicadas nos sites “mídia popular” e “diário de classe”, portais de notícias ligados ao Partido dos Trabalhadores, PSOL e CUT e responsáveis por propagar inverdades contra a gestão de Mendonça Filho no Ministério da Educação, entre maio de 2016 a abril de 2018. As postagens dos advogados foram compartilhadas, inclusive por outros advogados e professores de direito, além de servirem de base para propagação de comentários baseados na mentira propagadas por eles.
     A fake news propagada pelos advogados foi veiculada em junho de 2017, durante a gestão de Mendonça Filho no MEC, onde se tentou de forma inverídica, atribuir a ele a autoria da frase de que “é preciso enxugar regalias dos professores para equilibrar os cofres de estados e municípios”.  Na época, Mendonça Filho entrou na Justiça e ganhou direito de resposta no site Mídia Popular, que é ligado a um membro do PSOL do Piauí. Mendonça acionou, também, a Polícia Federal para investigar a propagação dessa e de outras fake news produzidas e propagadas com o objetivo de desestabilizar a sua gestão no Ministério da Educação. Como ministro, Mendonça lançou ações de valorização do professor como a política nacional de formação e a antecipação do repasse da complementação do Fundeb para estados e municípios pagarem o piso de professores.
     Na representação ao TRE, o Democratas defende que a reportagem “além de ser nitidamente falsa, também foi “requentada” pelos advogados, o que reforça ainda mais a gravidade e repreensão de suas condutas, incompatíveis com a função social da advocacia em um Estado Democrático de Direito, que não deveria estimular a pratica de notícias falsas no mundo digital, principalmente quando estas possuem o nítido proposito de macular a história de qualquer cidadão de bem ou qualquer  pré-candidato.
      “O Democratas foi um dos 10 partidos que assinaram um termo de colaboração com o TSE, para a manutenção de um ambiente eleitoral imune de disseminação de notícias falsas. Nós não vamos abrir mão de uma eleição limpa, onde a verdade prevaleça e o debate ocorra no campo das ideias”, afirmou o presidente do Democratas de Pernambuco, José Fernando Uchôa, destacando que o partido adotará todas as providências legais cabíveis, recorrendo às instituições policiais e judiciais, para fazer valer a verdade e garantir o pleno funcionamento da democracia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário