quinta-feira, 26 de abril de 2018

Alberto Feitosa propõe criação de comissão especial para discutir segurança pública

Com os debates contínuos sobre os índices de violência do Estado acontecendo na Assembleia Legislativa de Pernambuco, o deputado estadual Alberto Feitosa propôs na tarde desta quarta-feira (25), durante sessão plenária, a criação de uma Comissão Parlamentar Especial para a proposição de medidas na segurança pública, além de debater sobre a legislação criminal brasileira. Segundo o parlamentar, a discussão ultrapassa os limites do Estado, com números preocupantes em todo o país e que devem ser analisados também pelo Congresso Nacional e Ministério da Segurança Pública.
“Desde que comecei a legislar na Alepe, a discussão gira em torno da falta de viaturas e policiais em Pernambuco, porém o problema atinge todo o país. Outros estados sofrem com a crescente da violência e têm dificuldades para combatê-la, assim como as punições aos crimes acontecem de forma muito lenta. Só em 2017, segundo o instituto paulista Sou da Paz, 61 mil pessoas foram assassinadas no Brasil e 80% desses crimes não foram elucidados pelo poder público. Entre 2011 e 2015, foram mais de 278 mil assassinatos, número maior do que os de vítimas da guerra da Síria, que, no mesmo período, segundo a Organização das Nações Unidas, causou 256.124 mortes”, afirmou Feitosa.
Com números alarmantes de crimes contra a vida, patrimônio e relacionados às drogas em todos os estados, além dos problemas no sistema penitenciário, o deputado destacou que é fundamental uma avaliação criteriosa e um estudo aprofundado acerca de medidas que podem enfrentar e reduzir de maneira efetiva os números de violência. O deputado também defendeu que as punições sejam mais rigorosas e que haja mais celeridade no Judiciário.
Com a criação de uma comissão especial, deputados oposicionistas e governistas poderão discutir e colaborar para a criação de medidas que serão apresentadas ao governador Paulo Câmara e ao ministro de Segurança Raul Jungmann. Mais de 40 deputados já assinaram o requerimento de apoio para a criação do grupo parlamentar. “Não podemos legislar sobre matéria penal, mas podemos colaborar discutindo e criando propostas que possam contribuir com o Governo do Estado e com o país. Também ouviremos sugestões de alteração para os códigos Penal e de Processo Penal, o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Lei de Execução Penal e a Constituição”, concluiu Feitosa.

domingo, 15 de abril de 2018

Justiça nega pedido de Josibias Cavalcanti (PSD) para voltar à prefeitura de Catende

O Tribunal de Justiça de Pernambuco  (TJ-PE) negou na ultima sexta-feira (10) o pedido de Josibias Cavalcante de 89 anos (PSD), afastado da prefeitura de Catende, para voltar ao cargo de prefeito.
O prefeito deixou a chefia do Executivo Municipal após ser deflagrada a 3º fase da 'Operação Gênesis'.O PortalPE10 entrou em contato com a defesa do prefeito afastado,mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.
No mandado de segurança, a defesa pede que o prefeito seja reconduzido ao cargo de prefeito, já que segundo a defesa ''Não há fatos suficientes para o afastamento e causa grave lesão à ordem pública e administrativa.''
Na decisão, o desembargador Adalberto de Oliveira Melo argumentou que não haveria possibilidade de conceder o pedido e manteve a suspensão pelo prazo de 90 dias do gestor. O desembargador ainda lembrou que o gestor afastado foi alertado pelo ex-procurador do município sobre possíveis irregularidades e que mesmo assim nenhuma decisão tomou e que sua volta ao cargo poderá comprometer as investigações que ainda estão em andamento.
“Foi montada em Catende uma procuradoria paralela com o objetivo de chancelar o esquema fraudulento, que era comandado pelo filho do prefeito. Os servidores da comissão de licitação direcionavam as concorrências para favorecer empresas fantasmas com contratos de diversos serviços públicos, como coleta de lixo, aluguel de veículos, dentre outros”, explicou o promotor de Justiça Frederico Magalhães.

 Operação Genesis
 O prefeito de Catende, Josibias Cavalcanti (PSD), de 89 anos, foi afastado do cargo pela Justiça desde o ultimo dia (4). De acordo com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), ele é suspeito de integrar um grupo criminoso que desviou recursos públicos da gestão municipal. O esquema era liderado pelo secretário de Governo, Alexandre Cavalcanti, que é filho do prefeito.
Além do gestor do município da Mata Sul, o filho do prefeito e outros seis servidores públicos também foram afastados durante a terceira etapa da Operação Gênesis, que contou com o apoio das polícias Civil e Militar. Também foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão.
Em seguida à deflagração da terceira fase da Operação Gênesis, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) obteve outra decisão liminar determinando o afastamento do cargo de mais  cinco familiares do prefeito que ocupavam cargos em comissão.
Foram afastados:Roberto Moura Cavalcanti (chefe de gabinete), também filho do prefeito; e os netos Rebeca Cavalcanti de Albuquerque (secretária-executiva), Alexandro Mauro Costa Cavalcanti (secretário de Cultura e Turismo) e Josibias Cavalcanti Neto (secretário-executivo).

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Datena passa mal e é levado para hospital em São Paulo

Crédito: Gabriel ReisO apresentador José Luiz Datena passou mal na tarde desta quinta-feira, 5, e foi levado ao hospital Albert Einstein para uma bateria de exames. Ele estava na lanchonete da Band, na zona sul de São Paulo, e foi socorrido por colegas, segundo relatos.

Datena disse estar se sentindo mal e prestes a desmaiar. A informação é que ele passa bem, segundo a colunista Keila Jimenez, no portal R7.

Ainda não se sabe se o apresentador volta à TV ainda nesta quinta.

Moro determina a prisão de Lula

O juiz Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, expediu o mandado de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na tarde desta quinta-feira (5/4). Segundo documento enviado pelo magistrado, o petista tem até 17h esta sexta-feira (6/4) para se entregar à Polícia Federal.

Lula teve seu pedido de habeas corpus rejeitado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta (4/4). Dos 11 ministros que votaram, seis foram favoráveis à rejeição.

O texto de Moro destaca que "relativamente ao condenado e ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão".

terça-feira, 3 de abril de 2018

População de Belém de Maria reclama que está 15 dias sem água


Resultado de imagem para Água na torneiraAlguns moradores da Cohab de Belém de Maria estão reclamando da Compesa que há exatos 15 dias não abastece a Cohab do município. De acordo com os moradores diversas reclamações já foram feitas ao órgão e até o momento nenhuma solução. “Estamos pagando caro para pôr água em casa. Cada viagem é R$ 5 reais e isso pesa no bolso da gente” disse uma moradora da cidade a este blogueiro.

Atenção pessoal da Compesa! Vamos tentar resolver essa questão, pois não é justo isso. Se a conta chega todos os meses, eles tem mais que direito de ter água em suas torneiras. Quinze dias é muito tempo.

Gilmar diz que prisão de Lula “mancha imagem do País”

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou em Lisboa que a decisão da Corte sobre o pedido de habeas corpus (HC) da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá ser conhecida amanhã mesmo ou na quinta-feira e poderá gerar incompreensão. Ele disse ainda que a prisão de Lula "mancha a imagem do Brasil" e alertou: "Se alguém torce para prisão de A, precisa lembrar que depois vem B e C". O ministro falou com a imprensa na capital portuguesa, onde participa do VI Fórum Jurídico de Lisboa - Reforma do Estado Social no Contexto da Globalização, organizado pelo seu Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

"Ter candidato condenado, mas que lidera as pesquisas é fator mais grave para coquetel (de violência). Tenho a impressão de que mancha a imagem do Brasil no curto prazo", afirmou o ministro, explicando "conceder HC para alguém irrita muitas pessoas, mas estamos protegendo essas pessoas. Se alguém torce para prisão de A, precisa lembra que depois vem B e C".

"Meu entendimento era de autorização sobre 2.ª instância. Na prática, virou ordem de prisão e isso é uma grande confusão que temos que esclarecer."

De acordo com o ministro, o julgamento pedido de habeas corpus do ex-presidente vai gerar incompreensão a uma parcela da população. "Certamente haverá, num primeiro momento, esse tipo de incompreensão: um lado dirá que foi bem feito, que a decisão foi correta, e outro dirá que não foi correta e gerará críticas, mas em seguida haverá sentimento de acomodação e respeitar-se-á a decisão tomada pelo Tribunal", afirmou. 

Sobre movimentos declarados de jejum (do coordenador da força-tarefa da Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol) e assinatura de abaixo-assinados em relação ao tema, o ministro disse que se tratam de ações que fazem parte do processo público. "Talvez tenha se tornado exageradamente público no Brasil", pontuou. Ele lembrou que hoje se discute muito o televisionamento das sessões do STF, mas defendeu a continuidade da transmissão. "Eu acho inevitável que haja essa transmissão. Se não houvesse, vocês (jornalistas) estariam lá, transmitindo diretamente. Nossos julgamentos são públicos, isso já secularmente, esta é a nossa tradição. Não temos que evitar a transmissão, nós temos de melhorar é a nossa relação de comunicação, a informação do público", considerou.

Para Gilmar Mendes, todos "palpitam" sobre os casos em julgamento no STF. "Assim como falavam que tínhamos 200 milhões de técnicos de futebol, agora temos 200 milhões de juízes. Todos entendem de habeas corpus e discutem defesa, controle concreto, controle abstrato, em suma: isso era conversa de jornalista e virou de jornaleiro. Temos que conviver com isso", declarou. Ele relatou também, com ironia, que um colega da Suprema Corte brinca que há um canal de televisão que é a "terceira turma" do STF, já que há um grupo de jornalistas que faz comentários sobre o que o Supremo deve decidir, sobre se errou, entre outros temas.

O ministro enfatizou que é preciso primeiro que as pessoas entendam do que se trata para depois emitirem opiniões. "Eu brinquei outro dia com a Folha de S.Paulo e fui mal-interpretado quando disse que o jornalista também tem de ser alfabetizado. Não falei no sentido de ser letrado, mas no de se informar sobre o que está falando. Vemos essa polarização no Brasil em cima de análises muito superficiais. Temos que evitar isso". Gilmar foi questionado sobre os custos da viagem dele à Portugal e respondeu: "Devolva essa pergunta a seu editor, manda ele enfiar isso na bunda. Isso é molecagem, esse tipo de pergunta é desrespeito, é desrespeito”.

Gilmar Mendes volta ainda hoje para o Brasil para participar da votação no STF e retorna para Portugal na quinta-feira. Para ele, protestos populares contra o Supremo, como o que ocorreu no Rio de Janeiro, iniciado por uma manifestação ligada à morte da vereadora do PSOL Marielle Franco, são "absolutamente normais". "As Cortes institucionais são instituições contramajoritárias. Isso significa se contrapor à maioria do Parlamento e, muitas vezes, à maioria da população. Dizemos que temos que proteger muitas vezes o indivíduo que não tem consciência de que precisa de proteção. Portanto, quando há radicalismo, ou simplificação em relação às matérias penais, estamos tentando fazer um papel moderador e temos que ter toda compreensão", argumentou.

O ministro destacou que o Brasil é hoje um País muito dividido e afirmou haver também "muitas desinteligências". Por isso, de acordo com ele, é preciso que os ministros tenham calma e serenidade para administrar essa situação e fazer ajustes de interpretação. Gilmar Mendes lembrou que o Tribunal já passou por outros momentos extremamente tensos. "Estamos celebrando em outubro 30 anos de Constituição. São 30 anos de normalidade constitucional. Claro que tivemos aqui e acolá solavancos, turbulências, mas não tivemos crises institucionais que levassem à interrupção desse ciclo normativo. A missão da Corte é guardar pela Constituição e insistir nos valores constitucionais", defendeu.

Prefeito e vereadores de Cabedelo são presos


O prefeito de Cabedelo, Leto Viana (PRP), e mais cinco vereadores foram presos durante a operação Xeque-Mate, deflagrada na manhã de hoje pela Polícia Federal, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba. A operação tem como objetivo desarticular um esquema de corrupção na administração pública no município localizado na região da Grande João Pessoa.
Inicialmente foi dito que o vice-prefeito foi preso, no entanto a Polícia Federal informou que houve uma confusão no repasse da informação pois o atual prefeito, Leto Viana, havia sido eleito vice-prefeito em 2012 e assumiu a prefeitura de Cabedelo em 2013, após renúncia do prefeito eleito. De acordo com o Gaeco, o atual vice-prefeito Flávio de Oliveira, foi afastado do cargo, mas não foi preso.
A Polícia Federal cumpre 11 mandados de prisão preventivas, 15 sequestros de imóveis e 36 de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Além dos mandados, a Justiça decretou o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos, incluindo o prefeito e o vice-prefeito de Cabedelo, e o presidente da Câmara Municipal.
Confira a lista dos alvos dos mandados de prisão
  • Wellington Viana Franca (Leto Viana) - Prefeito
  • Jacqueline Monteiro Franca (esposa de Leto) - Vereadora e vice-presidente da Câmara
  • Lúcio José do Nascimento Araújo - vereador e presidente da Câmara
  • Tércio de Figueiredo Dornelas Filho - vereador
  • Rosildo Pereira de Araújo Júnior (Júnior Datele) - vereador
  • Antônio Bezerra do Vale Filho (Antônio do Vale) - vereador
  • Marcos Antônio da Silva dos Santos
  • Inaldo Figueiredo da Silva
  • Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho
  • Adeildo Bezerra Duarte
  • Leila Maria Viana do Amaral
Segundo informações da Polícia Federal, a esposa do prefeito, que é vereadora na cidade, também é alvo de mandado de prisão. De acordo com a PF, ela era responsável pelos contratos fraudulentos. O casal gastou milhões em imóveis com dinheiro desviado, e dispõe de um estilo de vida totalmente incompatível com a renda.
Equipes da Polícia Federal também cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do empresário Roberto Santiago, em João Pessoa. O advogado do empresário, Marcos Pires, confirmou que Roberto Santiago não foi preso.
"Não tenho nada a declarar, só vim prestar minha solidariedade ao amigo Roberto Santiago, empresário respeitado, bem quisto e de boa índole. Vamos nos reunir no shopping e a partir daí, ficar a par do que está acontecendo e o que será feito de nossa parte", explicou o advogado do empresário. A assessoria de Roberto Santiago disse que está apurando as informações, aguardando mais detalhes da própria PF, para divulgar um posicionamento sobre a operação.
O G1 entrou em contato com o procurador de Cabedelo, Sandro Magalhães, e ele informou que ainda está recebendo informações para poder emitir um posicionamento oficial. “Fomos pegos de surpresa. Vamos avaliar todo cenário para poder se posicionar. “Vou me reunir com alguns secretários, devo passar na superintendência da PF para acompanhar a situação. Talvez no final do dia, teremos uma posição”, afirmou.
Segundo as investigações, o grupo teria desviado ao menos R$ 18 milhões. Um colaborador da Polícia Federal contou aos investigadores que o atual prefeito, inicialmente eleito como vice-prefeito em 2012, teria pago R$ 5 milhões ao ex-prefeito, Luceninha para assumir o mandato.
Durante as investigações, ficou comprovada a participação das principais autoridades públicas do município que se beneficiavam do esquema de diversas formas, tendo registrado aumento patrimonial espantoso, muito acima do condizente com sua renda. De acordo com a Polícia Federal, somente na aquisição de imóveis nos últimos cinco anos, verificou-se que um agente político envolvido movimentou mais de R$ 10 milhões à margem do sistema financeiro oficial.
Em um dos esquemas, foram detectados funcionários fantasmas da prefeitura e da câmara municipal que recebiam salários de até R$ 20 mil e entregavam a maior parte para as autoridades locais, ficando de fato com valores residuais. Foram constatadas ainda doações fraudulentas de imóveis do patrimônio público municipal, bem localizados e de alto valor, para empresários locais sem que houvesse critérios objetivos para a escolha do beneficiado.
Os envolvidos vão responder por formação de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude licitatória. O prefeito Leto Viana, em específico, vai responder ainda por crime de responsabilidade na esfera da administração pública. O Ministério Público e a PF disponibilizam um endereço eletrônico para denúncias relativas à investigação.

Morre vítima de infarto, o Presidente da Câmara de São Benedito do Sul

Resultado de imagem para Cicero da Ambulancia Vereador São Benedito do Sul
O Vereador Presidente da Câmara de São Benedito do Sul, Cícero da Ambulância (PR) faleceu vítima de um infarto. O vereador, de 60 anos era natural de São Benedito do Sul e tinha como sua profissão antes de exercer o mandato de vereador, motorista. 

MANDANDO BRASA - A lei vale pra todos, até pra Lula


Resultado de imagem para Lula
Ninguém é maior que a Lei

O Supremo Tribunal Federal julga na depois de amanhã, dia 4 de abril, o Habeas Corpus que pode deixar livre o ex-presidente Lula que já tem, ouça bem, já tem sua prisão decretada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região de Porto Alegre. Isso é muito significativo tanto do ponto de vista jurídico, como do ponto de vista político.

Críticos da Lava Jato, cada um com seus devidos pontos de vistas acusam o juiz Sérgio Moro de perseguição política a Lula e de querer tirá-lo do jogo eleitoral de 2018. Por isso recorreram ao Supremo Tribunal Federal como forma de “socorro”, pois caso o egrégio colegiado negue o Habeas Corpus a Lula será questão de dias para que a Polícia Federal faça cumprir a decisão de Moro.
Mas repare bem, será que Sérgio Moro e a Operação Lava Jato estão mesmo perseguindo Lula? Que parece que no Brasil só existe Lei para ele e impunidade aos demais? Se você parar um pouco para refletir verá que não. Moro não tem sido de maneira nenhuma parcial nas suas decisões.

O mesmo juiz que condenou Lula, foi o mesmo que condenou e mandou para a cadeia Eduardo Cunha, o braço direito de Temer, do MDB. E não só Cunha! Foi a mesma Operação Lava Jato que também mandou pra Cadeia a cúpula medebista do Rio de Janeiro: Sérgio Cabral, Piciani, entre outros. Ah! A Lava Jato também lavou o Tribunal de Contas no Rio de Janeiro. Sabe quem é Bruno Gonçalves da Luz? É do MDB e foi condenado a 6 anos e 8 meses de prisão. E o Gim Argelo? Do PT....B? Isso mesmo, do partido de Roberto Jefferson, condenado a 19 anos de prisão. E João Claudio Genu, do PP? O ex-deputado Luiz Argôio, é do Solidariedade, e também foi condenado. O pernambucano Pedro Correia é do qual partido? PP e não PT.

Pois é, sem contar do próprio PT: José Dirceu, Antonio Palloci, Delúbio Soares, João Vacarri Neto, André Vargas. Ora meus amigos, não é só o Lula não. São os mais variados partidos políticos envolvidos em escândalos de corrupção que levaram a Petrobras a um prejuízo de 6 bilhões de reais. Agora reflita: Será que em meio a tanta decisão da caneta de Moro, apenas LULA teria direito a livrar-se dela?

Aí você questiona: E onde estão os políticos acusados do PSDB? Pois é, para que estes caiam nas mãos de Moro basta apenas uma coisa: Que você não vote neles! Qual o motivo dessa proteção aos tucanos? Simplesmente: A eles foram dados o foro privilegiado, motivo pelo qual Moro não pode julgá-los. José Serra, Aécio Neves e tantos outros só podem ser julgados e processados pelo STF, e não por Sérgio Moro. Não estão na jurisdição dele, e sim na dos ministros da capa do batman lá de Brasília. Por isso que é difícil vermos Moro metendo a caneta neles.

Não caiam na conversa de que existe lei para Lula e não existe para os demais. A Lei é para todos e para Lula também. Não é o fato de alguém ser ex-presidente que fica revestido de uma proteção “celestial”. Não! O Brasil precisa mostrar que as instituições funcionam e que a lei é para todos, e que hoje não temos mais impunidade pra ninguém. Ninguém mesmo... nem para Lula.

FALTANDO ALGUÉM - Populares de Catende sentiram falta na pesquisa interna divulgada por esse blog do nome da pré-candidata Graça Braz (PTB) que recentemente declinou do convite para assumir a Secretaria da Mulher no Governo Josibias. A Polarização entre o pré-candidato a deputado federal Rinaldo Barros (PSC) e o vice-prefeito Fausto da Farmácia (PSD) demonstra apenas um dos cenários, mas não todos, disseram alguns.

PT BRECOU DILSON PEIXOTO - O petista Dilson Peixoto, foi brecado pelo Partido dos Trabalhadores de assumir a Secretaria dos Transportes. Segundo informações, o partido em Pernambuco trabalha com apenas uma hipótese: A candidatura de Marília Arraes e nada de aliança com o PSB. Dilson bem que queria uma secretaria, mas a prioridade do partido no momento.

DANIEL COELHO E AS CONTRARIEDADES - O deputado federal Daniel Coelho que já foi do Partido Verde, do PSDB, parte agora para uma nova etapa partidária desta feita no PPS, (Pós-Comunista) ou Movimento 23 como quer o deputado. O nome e as bandeiras do antigo partido comunista estão causando desconforto nos novos liberais que assumiram a direção estadual.

VEM AÍ O ENTRE VISTAS - Um programa de entrevistas e de debates políticos que vai levar conhecimento e notícia do mundo político ao povo da mata sul e do agreste pernambucano.Os mais variados pontos de vistas da política. O Programa irá ao ar pelo YOUTUBE e FACEBOOK ao vivo, com participação dos internautas fazendo perguntas aos entrevistados do dia.

Silvinho Silva é editor do Blog
silvinhosilva2018@gmail.com
WhatsApp: (81) 98281 4782


segunda-feira, 2 de abril de 2018

Coordenadora do MTST se filia ao PROS

O PROS recebeu a filiação de Lídia Brunes, coordenadora do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que é filiado a UNMP-União Nacional por Moradia Popular, grupo que tem forte atuação na luta pelos direitos a moradia em todo o Estado.

Lídia, que também é Conselheira Nacional das Cidades, teve a ficha abonada pelo presidente estadual, o deputado João Fernando Coutinho.

O parlamentar, que já consolidou uma chapinha para deputado estadual com os partidos PMN e PPL, também dialoga com outros partidos, a exemplo o PEN, comandado pelo vereador do Recife e pré-candidato, Davi Muniz.

Nesta segunda, também se filiou Cruel Josias, com base no Cabo de Santo Agostinho é conhecido com um dos grandes divulgadores do surf pernambucano.

Cinco mil juízes e promotores pedem ao STF que mantenha prisão em 2ª instância

Prédio do Supremo Tribunal Federal (STF)Magistrados e membros do Ministério Público que compõem o Fórum Nacional de Juízes Criminais (Fonajuc) entregaram nesta segunda-feira (2) ao STF (Supremo Tribunal Federal) uma nota técnica contra uma possível mudança na decisão da Corte que autorizou a prisão de condenados após a segunda instância da Justiça, em 2016. O documento obteve 5 mil assinaturas de integrantes do fórum. As informações são da Agência Brasil.

O documento foi motivado pelo julgamento, marcado para a próxima quarta-feira (4), do habeas corpus protocolado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar a execução provisória da pena de 12 anos e um mês de prisão na ação penal do tríplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato.

No documento, o Fonajuc afirma que a execução provisória da pena não afronta o princípio constitucional da presunção de inocência.

"A presunção de inocência não consubstancia regra, mas princípio, que não tem valor absoluto, pelo que, deve ser balizado por outros valores, direitos, liberdades e garantias constitucionais. Por tais razões, o princípio da presunção de inocência deve ser ponderado, a fim de que não se exacerbe a proteção de sujeitos à persecução criminal, em detrimento dos valores mais relevantes para a sociedade", diz a nota técnica.

Mais cedo, a defesa do ex-presidente Lula entregou ao Supremo um parecer do jurista José Afonso da Silva contra a prisão de condenados criminalmente após o fim de todos os recursos na segunda instância da Justiça. No entendimento do jurista, a execução da pena de Lula antes do trânsito em julgado é inconstitucional.

"O princípio ou garantia de presunção de inocência tem extensão que lhe deu o art. 5º da Constituição Federal, qual seja, até o trânsito em julgado da sentença condenatória. A execução da pena antes disso viola gravemente a Constituição num dos elementos fundamentais do Estado Democrático de Direito, que é um direito fundamental", diz Silva.

(Folha de Pernambuco)

PPS passará a se chamar Movimento 23

O deputado federal Daniel Coelho (PPS) que está chegando ao PPS - Partido Pós comunista, pretende mudar o nome do partido. Assim, o deputado postou em nota ao povo pernambucano na sua página no facebook. Acompanham o deputado na migração de partido os militantes dos movimentos RenovaBR , Agora, Livres e Acredito. Segue a nota do deputado:

“Um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar”, disse, duas décadas atrás, o músico pernambucano Chico Science, apontando não apenas o óbvio, mas o necessário: o mundo está em constante transformação. E muitas vezes é preciso ter coragem para sair da zona de conforto e mudar.
Hoje, deixo o PSDB para me filiar ao PPS. Junto com jovens idealistas, com aqueles que fazem e fizeram o partido, além de movimentos de renovação da política como Agora, Livres, RenovaBR e Acredito, estamos construindo a transição para uma nova legenda. Com novo nome, renovada em ideias, práticas e processo democrático.
Em congresso nacional, o partido já deliberou pela sua renovação e mudança de nome, a ser concretizada nos próximos 30 dias. A proposta já apresentada para que o partido passe a se chamar Movimento 23 está em curso de implementação.
Nossos compromissos com a pauta ambiental, o direito dos animais, a ética, o combate à corrupção, uma economia mais liberal e com menos interferência estatal, o apoio ao empreendedorismo, defesa intransigente da democracia, respeito à diversidade e às liberdades individuais e o combate a qualquer tipo de preconceito ou discriminação continuarão sempre a nos guiar como princípios em nossa atuação política.
Venha você também fazer parte deste movimento que busca integração da sociedade com a boa política.

Daniel Coelho, deputado federal

DESMENTIDO: Dilson Peixoto nega ida para Transportes e diz que especulações visam constranger PT

O petista Dilson Peixoto, enviou email ao blogueiro Edmar Lyra, desmentindo ida para a Secretaria de Transportes.

Caro Edmar,
Acabei de ler um post no teu Blog em que se especula a minha indicação para ocupar a Secretaria Estadual de Transportes. O que trata-se de inverdade, posto que não fui em momento algum sondado a respeito, além do que sou filiado e dirigente de um partido que nada discutiu sobre isso.
O fato é que no momento há uma discussão que envolve as direções nacionais do PT e do PSB, com vistas a possíveis alianças entre as duas legendas em vários estados e, uma especulação dessas, visa apenas constranger e criar uma cortina de fumaças que nada acrescenta. Quem te passou essa ‘informação’, o fez por maldade pura.
Dilson Peixoto

(Do Blog do Edmar Lya)

Em carta ao partido, Daniel Coelho se despede do PSDB

Resultado de imagem para Daniel CoelhoO deputado Daniel Coelho (PPS) que está deixando o partido, após 7 anos de militância onde ele conquistou dois mandatos de deputado federal e foi candidato a prefeito do Recife por duas vezes. O deputado entra para o PPS que consequentemente deve deixar o campo de apoio do governador Paulo Câmara, e migrar para a oposição.Segue a íntegra da carta:

Caros amigos e companheiros do PSDB Tomei uma decisão muito difícil, sair do PSDB, mas uma decisão que a faço com a tranquilidade de que posso estar mudando o partido, mas não mudo de campo político, nem mudo os objetivos comuns que temos, de construir um Brasil mais justo, um Brasil mais moderno, com Brasil com menos intervenção estatal e um Brasil que ofereça mais oportunidades à sua população. Sou imensamente grato ao PSDB, às pessoas que fazem o partido, pela oportunidade de ter disputado três eleições pela legenda. Desejo muito sucesso na jornada do PSDB. Sei que estaremos no mesmo campo político nas próximas eleições presidenciais. Estarei incluído no projeto do qual faz parte o PSDB, que é encontrar um caminho pelo ambiente do centro democrático. Tenho um agradecimento em especial às pessoas que fizeram e fazem o PSDB. Em primeiro lugar, fica a saudade e o reconhecimento a Sérgio Guerra. Deixo o meu cumprimento a figuras importantes que me ajudaram em Pernambuco: o ex-governador Joaquim Francisco, o ex-governador João Lyra, o deputado federal Betinho Gomes, o deputado federal Bruno Araújo, o ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes Elias Gomes, o deputado estadual Antônio Moraes, a deputada estadual Terezinha Nunes, o vereador do Recife André Régis e todos os demais vereadores, prefeitos, militantes do partido, que ao longo do tempo foram nossos companheiros de jornadas e lutas. Com carinho, agradeço à bancada federal, na Câmara e no Senado, por toda compreensão e apoio ao longo desses últimos 3 anos. Obrigado a todos, Daniel Coelho

PT assume Transportes e abandona candidatura de Marília Arraes

O Partido dos Trabalhadores emplacou a secretaria dos Transportes, atualmente ocupada por Sebastião Oliveira. O nome deverá ser  Dilson Peixoto, que já estava sendo cotado para a pasta antes do carnaval. Sebastião ficará com outro espaço no governo que ainda não foi definido. Os Ferreiras passam a comandar a secretaria de Habitação, atualmente ocupada por Kaio Maniçoba.

(Do Blog do Edmar Lyra)

Deltan: jejum e oração pela prisão de Lula no STF

Josias de Souza
Coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol classificou a próxima quarta-feira de ‘Dia D da luta contra a corrupção.” Nessa data, o Supremo Tribunal Federal julgará o pedido de Lula para não ser preso —mesmo depois que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou o último recurso contra sua condenação a 12 anos e 1 mês de cadeia. Defensor da manutenção da prisão de condenados em segunda instância, Deltan anotou nas redes sociais que “o cenário não é bom”. Decidiu recorrer até à força divina: “Estarei em jejum, oração e torcendo pelo país.”
Sem mencionar o nome de Lula, Deltan anotou que uma derrota no Supremo produzirá a impunidade da “maior parte dos corruptos de diferentes partidos”. Noutra nota, o procurador rememorou que a corrupção produz “doenças, mortes, fome, desigualdade.” Escreveu que combater o flagelo “é uma questão de justiça social e de direitos humanos.” E reiterou que o esforço precisa passar pela redução da impunidade.
Junto com outros procuradores e o juiz Sergio Moro, Deltan vem sustentando em público a tese segundo a qual a reversão da regra sobre prisão na segunda instância será letal para a Lava Jato e outras operações anticorrupção. Por duas razões: além de esvaziar as celas, o eventual recuo do Supremo empurrará para as calendas gregas as punições, pois os condenados recorrerão em liberdade aos tribunais superioresa por prazos que podem chegar a uma década. Nesse período, muitos crimes irão prescrever.


No caso de Deltan, a evocação de Deus não é algo gratuito. Evangélico, o coordenador da Lava Jato se define no perfil que o identifica no Twitter como um “seguidor de Jesus”.
Também evangélico, Marcelo Bretas, o juiz da Lava Jato no Rio de Janeiro, ecoou o procurador de Curitiba na web, prometendo acompanhá-lo nas orações.
O problema é que as orações talvez não sejam suficientes para deter um fenômeno que ganhou proporções infernais: nos sonhos dos políticos que têm contas a ajustar com a lei, há sempre um Supremo receptivo aos embargos auriculares.
Encrencados e cúmplices conversam com certos ministros da Suprema Corte com incômoda frequência. E alguns desses ministros, sentados à direita de Deus, comportam-se como se tivessem simpatia pela ideia de anestesiar a Lava Jato e operações assemelhadas.deixado o Supremo de lado, para cuidar de outra coisa.
No caso de Lula, de resto, se o salvo-conduto que o Supremo concedeu para evitar que a prisão ocorresse antes da Semana Santa revela alguma coisa é o seguinte: Deus fez o mundo em sete dias apenas porque ainda não havia habeas corpus preventivo. Hoje, levaria uns dez anos.

MANDANDO BRASA - João Fernando acertou trocar o PSB pelo PROS

Resultado de imagem para João Fernando PROSA entrada do deputado João Fernando Coutinho (PROS) no PROS bem como a direção estadual que foi entregue ao deputado federal, fizeram um bem enorme ao deputado e só um cético não consegue enxergar isso. Com a ida do ex-socialista para o partido, João Fernando tem tudo para lograr êxito na campanha para deputado federal: Ganhou mídia, ganhou espaço, passou a ser uma liderança ainda mais respeitada tanto no campo oposicionista onde tem bom trânsito, tanto no Palácio, já que deve fechar apoio a candidatura de Paulo Câmara.

Há de se reconhecer também às enormes dificuldades que João Fernando teria no PSB tendo em vista o poderoso chapão da Frente Popular, o pequeno espaço no partido que prioriza a candidatura de João Campos, filho de Eduardo. João Fernando trocou o duvidoso pelo certo. Pode até ser que tem dado um passo errado, mas na política é preciso às vezes recuar para poder avançar e foi justamente isso que o deputado federal fez.

Com o encerramento do prazo de filiações partidárias neste final de semana, o deputado agora só tende a organizar questões de coligações e depois o prazo que é normal do calendário eleitoral: As convenções partidárias e a campanha. Na campanha ele com certeza será indagado pela população por seu posicionamento durante o mandato (2015-2018), e essa é a parte mais dificultosa para João Fernando, pois terá de explicar o alinhamento que teve com o Governo Temer, que é manchado por corrupção e denúncias.

Caso o discurso de João convença a população e a mesma retribua a confiança com votos, ele terá mais quatro anos de representação na Câmara.Caso não consiga lograr êxito, terá que amargar 4 anos fora do cenário político. No entanto, vale ressaltar que o nome mais forte para deputado federal no PROS, o seu partido é o dele. E será muito difícil o PROS não eleger pelo menos João Fernando Coutinho.

Maurício Rands é o nome que o Palácio queria para fechar a majoritária

Na véspera do feriado de Páscoa havia rumores de que o Palácio estava buscando um nome que saísse do óbvio para a segunda vaga de senador na chapa de Paulo Câmara, uma vez que a primeira vaga esta pacificada que é de Jarbas Vasconcelos, que inclusive deverá oficializar a sua entrada no PSD ao longo desta semana devido a confusão envolvendo o MDB. Foram sondados alguns nomes como Janguiê Diniz, mas avançou muito a tese de Maurício Rands ser o nome que faltava para fechar a chapa de Paulo Câmara.
Rands tinha profunda relação com Eduardo Campos, sendo inclusive o seu nome preferido para disputar pelo PT a prefeitura do Recife em 2012, naquela confusão que acabou tirando João da Costa da disputa, indicando Humberto Costa e culminou na sua saída da política, inclusive com a sua renúncia ao mandato de deputado federal conquistado em 2010. Fora da política há seis anos, Rands circula no meio empresarial e no meio político com muita desenvoltura e poderia significar a unidade da Frente Popular no sentido de preterir outros nomes como André Ferreira, Eduardo da Fonte, Sebastião Oliveira e Humberto Costa que são lembrados para o posto.
O ex-deputado e ex-petista teve uma conversa na semana passada com o deputado federal Augusto Coutinho e o prefeito de Olinda, Professor Lupercio, e praticamente sacramentou a sua entrada no Solidariedade, um partido neutro que está bastante fortalecido junto ao governador Paulo Câmara, inviabilizando qualquer possibilidade de o partido rumar para a oposição.
Com a conta de Rands e Jarbas confirmada na chapa majoritária, ficaria a vaga de vice-governador em aberto, certamente para ser dada a alguém do Agreste ou do Sertão que oscilaria entre Odacy Amorim, caso seja do PT a indicação, José Queiroz do PDT ou Sebastião Oliveira do PR. O governador teria uma chapa eclética, leve e robusta para buscar a reeleição e jogaria a pressão para a oposição que até agora não sabe que rumo tomar para as eleições deste ano.
(Edmar Lyra)

domingo, 1 de abril de 2018

É melhor Jair se acostumando?

Resultado de imagem para Jair Bolsonaro
Um país onde um ex-presidente está com um Habeas Corpus para ser julgado nesta próxima quarta-feira dia 04 pelo Supremo Tribunal Federal, é o caso do ex-presidente Lula (do PT). Um país onde uma ex-presidente foi retirada do Poder e descobriu um lamaçal de erros de seu governo e de seu companheiro de partido, foi o caso da ex-presidente Dilma (do PT). Um Presidente que está no Poder e vem sofrendo duas denúncias da Procuradoria Geral da República por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, formação de Quadrilha, é o caso do Presidente Michel Temer (do PMDB) e o candidato derrotado na última eleição presidencial pego em grampos telefônicos, acusado de obstrução à justiça. É o caso do ex-presidente (do PSDB) Aécio Neves. Não bastasse isso, políticos dos mais diversos partidos estão quase enterrados num lamaçal de corrupção. (PONTO)

Agora, no meio a tudo isso surge um que está ileso e é pré-candidato a Presidência da República: Jair Messias Bolsonaro (PSL). Que o leitor não tenha dúvida, o país caminha para eleger um capitão militar brasileiro, defensor do período militar. A eleição sequer está disputada, no momento, ela está entregue a Jair Bolsonaro que lança esse mês em Recife a candidatura do Comandante Meira (PSL) a governador de Pernambuco. O comandante Meira já chegou a ocupar um alto posto no início do Governo Eduardo Campos, e ele vem para o embate com uma cria do mesmo: Paulo Câmara, um burocrata que Eduardo transformou em político. 

Ninguém duvide, nem os entusiastas petistas que Bolsonaro será um candidato fácil de derrotar, pois não será! Com o PSDB e o PT na lama da corrupção como tem sido ventilado aos quatro cantos do país, e com o país numa desordem total, dificilmente o povo irá eleger um Rodrigo Maia (DEM), ou um pacífico Alckmin (PSDB). Esta semana, o clima de instabilidade política se tornou tamanho que dois arraigados críticos de Bolsonaro chegaram a dizer "Bolsonaro vai terminar vencendo essa eleição" foram eles: O professor Marco Antonio Villa da Rádio Jovem Pan, e Reynaldo Azevedo da Band News. Vendidos? Não. Mas, convencidos que ante o estrago feito nos últimos anos e com o Ministério Público avançando ainda mais nas investigações juntamente com a operação Lava Jato, e o Supremo Tribunal Federal conforme sua competência fazendo e tomando às decisões que está tomando, é melhor ir se acostumando com a ideia de ter Jair Bolsonaro no Planalto.

Enfim, o clima de impunidade é quem vai fazer Jair Bolsonaro subir à rampa do Planalto.

Quanto custa o STF?

Ranier Bragon - Folha de S.Paulo
Resultado de imagem para Supremo Tribunal FederalUm conjunto de regras editadas durante e entre as ditaduras do Estado Novo (1937-1945) e militar (1964-1985) permite aos 11 ministros da corte 88 dias de descanso ao ano, além dos sábados e domingos, norma que se estende a todos os magistrados.
Passava das 19h do último dia 22 quando o STF decidiu que não julgaria naquele dia o habeas corpus preventivo pedido pela defesa de Lula, condenado em segunda instância na Lava Jato. 
A escolha pelo adiamento foi movida, entre outros motivos, pelo apelo do ministro Marco Aurélio, que exibiu passagem aérea de viagem ao Rio, onde participaria de evento da Academia Brasileira de Direito do Trabalho.
A retomada, porém, não ocorreu no dia seguinte, uma sexta-feira, porque os ministros não fazem sessões às segundas nem às sextas.
O julgamento também não foi marcado para a semana seguinte. Lei de 1966 estabelece que, diferentemente da maioria da população, cuja garantia de folga se resume à Sexta-Feira da Paixão, a Semana Santa dos juízes engloba a quarta e a quinta.
Como as sessões plenárias do Supremo ocorrem apenas às quartas e quintas, marcou-se o julgamento do caso Lula para a semana posterior, no dia 4 de abril.
Os ministros e demais juízes do país têm direito a 60 dias de férias ao ano. No caso do Supremo, elas acontecem em janeiro e julho. Para cada um desses períodos, os 11 ministros recebem duas vezes o adicional de um terço do salário (R$ 11.254, para um salário de R$ 33.763), totalizando R$ 22,5 mil ao ano. 
Alexandre de Moraes, por exemplo, assumiu a cadeira de ministro do STF em março do ano passado. Pouco mais de três meses depois, chegaram as férias de julho e ele recebeu o adicional de um terço relativo a elas, mais antecipação de metade do décimo-terceiro salário. Total de seu contracheque na ocasião:
Além das férias, há o recesso de fim de ano, de 20 de dezembro a 6 de janeiro, norma prevista na mesma lei 5.010, de 1966, que organiza a Justiça Federal.
DIAS ÚTEIS
Os magistrados contam também com 18 feriados ao ano, seis a mais do que a população em geral —dois a mais na Semana Santa, um feriado forense em agosto, o dia do servidor (28 de outubro, fruto de decreto do Estado Novo), a véspera de Finados e 8 de dezembro, dia consagrado à Justiça.
Excluídas as interseções entre férias, feriados e recesso, chega-se aos 88 dias de descanso, o que resulta em 196 dias úteis ao longo do ano —contra 227 em outras áreas do serviço público e na iniciativa privada.
O argumento usado por integrantes de entidades representativas da magistratura é que a carga de trabalho dos juízes é imensa, normalmente extrapolando para horários fora do expediente e para dias de descanso. Além disso, afirmam, o peso da responsabilidade é superior ao da maioria das outras profissões.
“Os juízes não recebem hora extra por trabalharem além do horário previsto. É do conhecimento de todos que os juízes são obrigados a despachar processos fora do expediente, inclusive aos sábados e domingos. Nenhum plantão de juiz é remunerado, quando muito conseguem uma compensação sem nenhum acréscimo”, afirmou o presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), Roberto Veloso.
A assessoria da presidente do STF, Cármen Lúcia, disse que ela não se manifestará sobre o calendário dos magistrados porque pode ter que julgar o tema caso ele seja levado ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que ela também preside, ou ao próprio Supremo. Não houve manifestação também dos demais ministros.
No caso do STF, um deles fica de plantão nos períodos de férias e recesso.
COTA AÉREA
A maior parte dos 11 ministros passa os fins de semana fora de Brasília, em seus estados de origem, usando nesse deslocamento a cota aérea de R$ 51.889,70 a que cada um deles tem direto ao ano.
Ricardo Lewandowski e Luiz Fux, por exemplo, usaram praticamente todo o valor da cota em 2017 para viagens a São Paulo e Rio de Janeiro —respectivamente, estados onde têm residência.
Também com gastos de passagem para seus estados, Edson Fachin (Paraná) e Alexandre de Moraes (São Paulo) usaram valores expressivos da cota em 2017, cerca de R$ 40 mil.
Dos 11 ministros, apenas Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello não utilizam a cota aérea. Por comandar um poder, Cármen tem direito a uso de aeronave da Força Aérea Brasileira, mas segundo sua assessoria só a utiliza para compromissos de trabalho.
A assessoria do tribunal afirma ainda que o uso da cota é permitido para deslocamento de ministros a seus estados de origem ou qualquer outro lugar, sem necessidade de justificativa, já que eles podem despachar e tomar decisões a distância, a qualquer momento, registrando-as de forma eletrônica.


Os ministros têm ainda à sua disposição carro com motorista (Hyundai Azera), inclusive para compromissos particulares —por questões de segurança, afirma a assessoria— e imóveis funcionais em Brasília.

PSDB corre risco de diminuir se não souber jogar

Resultado de imagem para PSDBPróximo sábado uma parcela da oposição ao governo Paulo Câmara se reunirá na cidade de Ipojuca em mais um evento "Pernambuco quer mudar" que reunirá diversos partidos: PTB, DEM, PV, PSDB, PPS. No entanto uma coisa é muito estranha nesse movimento. O único partido que tem um candidato competitivo que é o governador Geraldo Alckmin, simplesmente não sabe simplesmente qual lugar ocupará na chapa ao governo de Pernambuco. Dentro do PSDB, um nome se colocou: o ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Elias Gomes. No entanto o seu pleito sequer teve a anuência do próprio partido, embora o Secretário-Geral do PSDB seja o seu filho, o deputado Betinho Gomes.

Se a oposição for marchar aqui no estado apenas com um nome representando todo esse grupo político, estará fadada a um enorme fracasso. Vai levar o nome de "o Palanque de Temer", e o presidente que começou a semana lançando seu nome à Presidência da República, viu terminar a mesma semana vendo amigos serem presos. "Se ele não tivesse na Presidência da República, estaria preso hoje" disse o comentarista político José Maria Trindade da Rádio Jovem Pan. A melhor saída para o PSDB seria uma candidatura própria e bem distante de Fernando Bezerra Coelho. No entanto, parece que os seus dirigentes partidários não estão tão dispostos assim.

Em meio a falta de uma liderança que aponte um rumo nessa eleição, o presidenciável Geraldo Alckmin corre um sério risco: Não ter um palanque pra chamar de seu aqui no estado e contar apenas com um partido avulso (o PSDB) fazendo campanha para ele. Em 2002, o PT tinha apenas o comando da prefeitura do Recife e bancou a candidatura de Humberto Costa ao governo somente para dar palanque a Lula no estado. Deu certo, Lula foi eleito e venceu em Pernambuco. Humberto, se tornou ministro da saúde.

Se o PSDB tem um nome com uma pessoa disposta a ir para a luta, a correr o estado que é o ex-prefeito Elias Gomes, o que falta então, para ir à luta? Veremos o tamanho do PSDB após este encontro de 07 de abril em Ipojuca. Pois do jeito que está hoje, o partido corre um sério risco de entrar na disputa e sair dela muito menor.

Catende: Uma disputa nova e eletrizante

Resultado de imagem para Rinaldo BarrosResultado de imagem para Fausto da FarmáciaRecente levantamento feito para consumo interno para Prefeito de Catende, coloca o pré-candidato a deputado federal, Rinaldo Barros em 1º lugar com cerca de 60% e em 2º lugar o atual vice-prefeito da cidade, Fausto da Farmácia com quase 40% dos votos. Este fato tem chamado a atenção de muitos do mundo da política catendense pois nem Rinaldo disputou eleição majoritária na cidade e Fausto da Farmácia disputou apenas como vice na chapa de Josibias. 

Rinaldo, é ex-vereador e advogado. Recém filiado ao PSC, vai disputar um mandato de deputado federal nas próximas eleições. Deve ser o nome do partido para 2020.

Fausto da Farmácia, é farmacêutico, e vice-prefeito. E até o momento, filiado ao PSD, partido que segundo o mesmo em entrevista a este blog pretende deixar em breve. Indagado, o mesmo diz que não tem pensamento de disputar a prefeitura da cidade, no entanto deixa no ar um vácuo até 2020.

Agora em 2018, a eleição será para deputados, senador, governador e presidente. Mas que 2020 já está na boca do povo, isto está.


Os últimos dias de Temer


Degradação da imagem do presidente faz com que seu caixão seja ainda mais difícil de carregar às urnas
Os deputados tendem a empurrar com a barriga uma nova denúncia da Procuradoria-Geral contra Michel Temer. Exceto em caso de “comoção grave”, a Câmara tentaria deixar a decisão sobre a abertura de um processo para depois da eleição. Não quer se envolver. Isso não resolve o rolo.
Ninguém dava crédito à candidatura de Temer, mas a prisão do resto dos homens do presidente mexe um tanto mais esse coquetel de imundícies e indignidades que é a eleição de 2018.
A degradação extra da imagem do presidente faz com que seu caixão seja ainda mais difícil de carregar até as urnas, em particular para o MDB. Os parlamentares do partido das gangues de Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Geddel etc. precisam se eleger para um foro especial, como tantos outros, verdade, mas têm o problema adicional de se dissociar de Temer na campanha, seja o presidente candidato ou não.
Já era difícil, deve ficar mais. Há rumor de novas prisões. Documentos escandalosos vão voar por aí. Há o risco de os presos novatos delatarem.
Para quem os MDBs vão se bandear? Os partidos que restaram na coalizão do governo, três ou quatro, vão pular em que barco? Temer é o beijo da morte pestilenta. Seu apodrecimento extra deve ter algum efeito nas alianças para uma eleição que, no primeiro turno, deve ser decidida por diferença de escassos pontos percentuais.
Quanto mais sururu, mais pressionados os políticos ficarão a dizer algo sobre o escândalo. Caso a procuradora-geral, Raquel Dodge, apresente nova denúncia, mais partidos ainda terão de explicar a proximidade com Temer.
Mesmo que Henrique Meirelles seja o candidato do MDB, a situação não melhora. O ministro ainda teria de carregar o zumbi presidencial nas costas. A situação econômica não deve ser atenuante, mesmo que o país esteja crescendo a 3,1% no terceiro trimestre (ante o mesmo trimestre de 2017), como prevê “o mercado”.
Seria uma recuperação pequena, dado o desastre; o desemprego ainda estará perto de 12%, e a precarização do trabalho será quase tão extensa quanto agora. Talvez o terço mais rico do país esteja mais animadinho, o que não deve refrescar a situação do governismo.
Difícil imaginar que Raquel Dodge não tenha uma denúncia em perspectiva. Quando seria? Entre a noite em que Rocha Loures rodou sua malinha de dinheiro pelas calçadas paulistanas e a primeira denúncia contra Temer, Rodrigo Janot levou dois meses (final de abril a final de junho) —e o antecessor de Dodge tinha pressa. Em pouco mais de um mês, a Câmara digeriu e negou a abertura de processo.
Esse calendário básico sugere que Temer vai ficar no bico do corvo até pouco antes da Copa, sendo triturado por revelações e pela ameaça constante de processo, no mínimo.
Segundo deputados, a desordem não vai bater logo e em geral no Congresso. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pode aparecer como alguém que evitou a paralisia, tocando votações, ainda mais se largar sua campanha presidencial, tida como inviável até por cabeças de seu partido, o DEM.
Temer tem como adquirir sangue no Congresso, mas sua sobrevida vai se resumir a estrebuchar no Planalto e a dividir com Lula o centro do palco da desordem político-judicial do país.

Desrespeito ao voto


Carlos Brickmann
A população paulistana elegeu, em primeiro turno, a chapa João Doria – Bruno Covas para prefeito e vice-prefeito. É uma chapa puro-sangue, escolhida apenas entre tucanos. Deveriam compartilhar suas ideias.
Muita gente se escandalizou com a decisão de João Dória de deixar a Prefeitura para disputar o Governo do Estado. É verdade que Doria prometeu cumprir todo o mandato, e o está abandonando antes de completar dois anos no cargo. Mas é verdade, também, que o eleitor terá uma excelente oportunidade de dar sua opinião sobre a atitude de Doria: se a desaprovar, é só mudar de candidato. Escandalosa mesmo é a posição de Bruno Covas, cuja principal força é ser neto do falecido governador Mário Covas.
Ele disse que, ao assumir no lugar de Doria, vai mudar sua política para algo mais semelhante ao que seu avô fazia. Pergunta-se: se Covas não concordava com as ideias de Doria, por que aceitou ser seu vice? Ninguém votou em seu nome: foi eleito como integrante da chapa do outro. Mudar aquilo em que o eleitor votou é desrespeitar o voto. Esta é sua posição?