segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Reforma Trabalhista: um passo a favor do Brasil


Resultado de imagem para Reforma trabalhista
Eu conheço dois tipos de pessoas que buscam emprego hoje em dia no mercado: os que querem trabalhar porque precisam sustentar sua família e acreditam que o trabalho é realmente uma bênção e lutam junto aos seus "patrões" pelo desenvolvimento da empresa da qual fazem parte e vestem a camisa. Esses, não estão preocupados com FGTS, seguro desemprego, 13º salário, embora os receba quando por acaso necessitam. 
Já o outro tipo de pessoa é extremamente diferente: Busca o emprego, mas não compromisso com a empresa. Querem direitos, mas cumprem como poucos os seus deveres. Estão totalmente presos a uma CLT da época ditatorial no Brasil. Querem quando for demitidos, terem direito a um monte de coisas. Já entram na empresa, pensando na demissão. É triste, é lamentável, mas é verdade.
Fora disso, quem está levantando bandeiras deste tipo dizendo que uma reforma trabalhista que visa modernizar a relação entre patrões e empregados vai acabar com os "direitos" dos trabalhadores. Alguém pode me dizer, quais?

Não. Não sabem explicar, apenas vivem de reclamar por todos os lugares que cortaram os direitos dos trabalhadores e agora ninguém sabe onde se vai parar. Ora, se cortar direito dos trabalhadores vai gerar emprego e renda para um país que está com o desemprego batendo a porta dos 13 milhões, então a lei não parece ser tão maléfica assim. Sim, eles votaram a favor dos empresários, dos patrões, porque são eles que geram a economia desse país. Não foi a reforma trabalhista que sequer entrou em vigor que está deixando o Brasil numa crise amarga feito esta pela qual estamos passando, quem deixou o nosso país chegar onde se chegou foi o Governo Lula e o Governo Dilma. Para melhor resumir: O Governo Dilma, porque Lula com seu jeito de ser foi o que mais conquistou benefícios tanto para os trabalhadores quanto para os empresários. Ou vocês acham que existiria realmente emprego sem ter quem empregasse? Engano seu querido leitor, ou você não está enxergando o óbvio. Para que a nossa gente trabalhe, tenha emprego, e tenha desenvolvimento não é preciso que o governo lucre, é preciso que as empresas lucrem.

Um empresário que gera 10 empregos em sua pequena empresa, sustenta dez famílias. Depois de amargar sequenciais prejuízos em sua ME, precisou demitir 5 pessoas. Ou seja, redução de custos. Quem foi para fora? 5 empregados. Quem está sofrendo? 5 famílias. Vamos ser sinceros, essa briga de patrão e empregado não leva ninguém a lugar algum. Eles não são adversários, são parceiros. Até porque se uma empresa vai bem, e o "patrão" está satisfeito com os lucros obtidos, certamente vai querer expandir sua linha, seu produto e para isso precisará contratar o dobro da mão de obra que tem. Se tiver 10 empregados, estenderá a 20 e fará a alegria não apenas de 10, mas de 20 famílias. Porque só sabe o sabor amargo do desemprego quem passou ou passa por ele.

Nenhum dos deputados ou senadores que votaram a favor da reforma trabalhista votou a favor do Temer, até porque o mesmo já tem sua aposentadoria de 50 mil reais. Mas pode ter certeza, eles votaram a favor de que a cidadezinha lá do interior que tem aquela pequena empresa pudesse gerar emprego para mais pessoas, porque sabem que é isso que gera emprego. E não uma lei que engessa o setor privado. A lei alivia para os patrões? Sim, alivia. E não significa que vai se encher os bolsos deles de dinheiro, até porque se ele não quiser investir, não quiser trabalhar, a empresa vai falir e quebrar. O avanço de reformas como a trabalhista vão fazer nada mais, nada menos que aumentar emprego e tentar diminuir o número de famílias que hoje passam por necessidades gritantes devido a falta de oportunidade.

Você precisa parar para ler, e encarar ideias contrárias as suas. Não seja manipulado! Tenha apenas um raciocínio inteligente. A CLT é coisa do passado, se modernize, o Brasil precisa de você.

Tribunal Regional Federal: Concurso em breve

Resultado de imagem para TRF 5Foi divulgado nesta sexta-feira, 11 de agosto, o Termo de Referência para contratação da banca organizadora do concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª região (concurso TRF 5). O documento confirma a realização de concurso para 12 vagas além de Cadastro de Reserva.

Os cargos que serão ofertados no edital do certame serão de Técnico Judiciário e Analista Judiciário, ocupações que exigem formação em nível médio e superior, respectivamente. As vagas serão distribuídas nas Seis Seções Judiciárias que compõe o TRF 5: Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas e Sergipe.

A data das provas ainda não foi divulgada, mas a taxa de inscrição já foi estipulada pelo Termo de Referência. Para o cargo de Técnico Judiciário o valor será de R$ 75,00 e para Analista R$ 95,00. As especialidades dos cargos que serão ofertados no novo concurso TRF 5 estão abaixo relacionadas:
Analista Judiciário
Judiciária
Execução de Mandados
Administrativa
Informática/Infraestrutura
Informática/Desenvolvimento
Medicina – Clínica Geral
Contadoria
Técnico Judiciário
Administrativa
Segurança e Transporte
Informática

A remuneração dos cargos, atualizada, com carga horária de 40 horas semanais, conforme o Termo de Referência, correspondem ao vencimento básico mais gratificação de atividade judiciária. No total o valor inicial da remuneração fica em:

Técnico Judiciário: R$ 6.071,91
Analista Judiciário: R$ 9.962,39

Ambos os cargos recebem, além da remuneração, auxílio alimentação no valor de R$ 799,00. Mas caso você esteja se preparando para o concurso da Magistratura do TRF 5, clique aqui para mais informações.

Armando ainda é o mais forte para 2018

Resultado de imagem para Armando MonteiroArmando é o mais forte para 2018

Nenhum prefeito pernambucano, com exceção de alguns município, sabem em qual palanque vão subir na eleição para governador no ano que vem. E pasmem: a campanha política começa exatamente daqui a um ano. No dia 15 de agosto de 2018, os blocos estarão nas ruas, e até lá, as indecisões já estarão sanadas. O fato de prefeitos não saberem em qual barco por os pés, significa nada mais nada menos que os próprios futuros candidatos vivem uma crise de existência: Com quem nós iremos em 2018?

O que vai decidir o voto dos prefeitos, serão as decisões dos candidatos a governadores. E quem vai decidir o voto dos governadores é a eleição para presidência que está um verdadeiro balaio de gato. Se Lula vier a ser candidato, grandes são as chances do tabuleiro eleitoral se modificar aqui no estado. Buscam o apoio de Lula, Armando Monteiro (PTB), Marília Arraes (PT) e Paulo Câmara (PSB). Paulo Câmara? Sim! Lula é detentor de uma aprovação de 56% no estado, e todos eles estão de olho nisso. Até mesmo Fernando Bezerra Coelho (PSB) que ensaia uma candidatura a governador, derramou-se em elogios a Lula.

Em recente pesquisa, ficou clara a divisão: Armando com 23%, Paulo Câmara com 13%, Mendonça 12% e Marília Arraes 6%. Destes, o que mais tem estrutura para disputar uma campanha eleitoral ainda é o governador Paulo Câmara (PSB) por conta da estrutura montada a seu favor e de ser o detentor da máquina. Em detrimento a tudo isto, Paulo Câmara ainda deve muitas explicações ao povo de Pernambuco de promessas feitas em 2014 e que não foram cumpridas: dobrar o salário dos professores, o incentivo a segurança, o passe livre.

Nesse vácuo, quem teria tudo para crescer era o senador Armando Monteiro (PTB), que infelizmente vem caindo no apoio que tem dado às reformas de Temer: Tributária, trabalhista e previdenciária. Não que seja o fim do mundo, mas o problema é que a esquerda sabe jogar o povo contra senadores e deputados que votam contra reformas que vão mexer no bolso do trabalhador, ou supõe-se que vão. Esquecem os mesmos que Dilma (PT) na presidência tentou realizar às mesmas reformas e não as fez porque não teve apoio político.

O projeto de terceirização mesmo vem do início do governo de Dilma, em 2015, quando foi ápice dos protestos das ruas. Fala certo o senador Armando ao dizer que continua do lado que sempre esteve e que quem mudou de lado foi o PT, ao conceder uma entrevista exclusiva para o Blog do Magno.

O trabalho de Paulo e de quem for disputar é de ir para o segundo turno.Em um provável segundo turno entre Paulo e Armando, são fortes às chances do jogo virar em favor de Armando, pois o PSB além de ter apoiado o impeachment (que não foi apoiado pelo trabalhista) apoiou o governo Temer, inclusive exercendo cargos no ministério. Se a péssima imagem de Temer pesar em alguém aqui no estado de Pernambuco com certeza será no socialista Paulo Câmara.



domingo, 6 de agosto de 2017

Cê acredita? Em pesquisa encomendada pela CUT, LULA vence em todos os cenários

O ex-presidente Lula continua liderando a corrida de 2018 para o Palácio do Planalto, segundo pesquisa do Instituto “Vox Populi”, divulgada nesta sexta-feira (4), encomendada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores).
O petista bateria no segundo turno qualquer um dos seus adversários em quatro cenários pesquisados: contra Jair Bolsonaro (PEN-RJ) ou João Doria (PSDB-SP), Lula aparece com 53% das intenções de voto. E contra Geraldo Alckmin (PSDB-SP) ou Marina Silva (REDE-AC), teria 52%.
Nesses hipotéticos cenários Bolsonaro teria 17% dos votos, e Alckmin, Dória e Marina 15%, cada.
Para 42% dos entrevistados, o juiz Sérgio Moro não provou a culpa de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Já para 32% o caso foi provado, ao passo que 27% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder o questionário.
“O pessimismo dos brasileiros com o momento econômico e político atual e o descrédito no governo Temer, aliados as lembranças de um passado recente de que a vida era melhor nos governos do PT, ajudam a explicar porque as intenções de voto no presidente Lula são as que mais crescem em todos os cenários da pesquisa”, declarou Marcos Coimbra, diretor-presidente do “Vox Populi”.
Para 55% dos entrevistados, Lula foi o melhor presidente que o Brasil já teve, seguido por Fernando Henrique Cardoso (PSDB) com 15%.
A pesquisa CUT/Vox Populi foi realizada nos dias 29 e 31 de julho com 1.999 questionários em 118 municípios de 24 estados e sua margem de erro é de 2,2 % para mais ou para menos.


João Fernando envergonha Pernambuco

Resultado de imagem para João Fernando CoutinhoO deputado federal João Fernando Coutinho (PSB) passou pelo maior constrangimento de toda sua vida política. Ausentou-se na hora de dar seu voto pela autorização ou não da investigação do presidente Temer (PMDB) no dia 02 de agosto. A partir de então, virou a grande chacota da política pernambucana, motivo de piada na internet. 
Muito embora vários deputados tenham dado seu voto a favor de Temer, o caso de João Fernando ter se ausentado do plenário soou como uma espécie de covardia. Era isso que João Fernando temia. Até o momento de ser chamado para votar, era dado como certo o voto do deputado a favor de Temer. Mas, nem SIM e nem NÃO. O Presidente da Câmara chamou João Fernando duas vezes, mas de nada adiantou. Do plenário, só se ouviam vozes: "Ele correu, ele correu". Uma cena lamentável para os pernambucanos e principalmente para quem confiou seu voto ao deputado.