sábado, 30 de dezembro de 2017

Ibope: só 10% acham que impeachment valeu à pena


A maioria dos brasileiros parece finalmente ter compreendido os efeitos trágicos do impeachment  para o País. O detalhamento de uma pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência para a CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostra que apenas 10% consideram que o governo ilegítimo de Michel Temer é melhor do que o de Dilma Rousseff. 
Na comparação com o governo Dilma, para 59% dos brasileiros o governo Temer está sendo pior do que o governo Dilma.
A administração de presidente é considerada ruim ou péssima por 74% dos entrevistados, 3 pontos percentuais a menos do que em setembro, uma variação dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.
Em dezembro do ano passado, 46% avaliavam o governo como ruim ou péssimo. Os que consideram o governo como regular passam para 19% (eram 16% na pesquisa anterior e 35% no mesmo período do ano passado) e para 6% o governo está sendo ótimo ou bom (3% em setembro e 13% em dezembro de 2016).
A maneira de governar e a confiança no peemedebista também seguem de mal a pior. Dentre os entrevistados, 88% desaprovam a maneira de governar de Temer e 90% não confiam nele, enquanto 9% aprovam sua maneira de governar.  (BR 247)

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Temer assina MP liberando 2 bilhões para os municípios, mas o dinheiro não sairá de imediato


Após protestos da Confederação Nacional dos Municípios e de presidentes de associações municipalistas, entre elas a Amupe que tem como presidente o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), o presidente Michel Temer editou uma Medida Provisória nesta sexta-feira (29) destinando R$ 2 bilhões para os municípios.
No entanto, segundo o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo), a liberação dos recursos só deverá ocorrer em fevereiro ou março de 2018.
A promessa do repasse foi feita por Temer à CNM no último mês de novembro, mas estaria condicionada à aprovação da reforma da previdência.
De acordo com a Medida Provisória, “a parcela que caberá a cada um dos municípios será calculada e entregue aos entes federativos nas mesmas proporções aplicáveis ao FPM para o ano de 2018, na forma fixada pelo Poder Executivo federal, após a aprovação do crédito orçamentário para essa finalidade”.

João Lyra ou Douglas Cintra cotados para a vice

O senador Armando Monteiro já emitiu pelo menos dois sinais sobre a participação do seu partido na disputa pelo governo estadual em 2018. Declarou inicialmente que se as oposições lançarem apenas um candidato para tentar impedir a reeleição do governador Paulo Câmara, este candidato será ele, que vem se preparando para esta batalha desde que perdeu a anterior em 2014. Afirmou em seguida que o município de Caruaru estará presente na sua chapa, ou com o candidato a vice ou com um dos postulantes ao Senado. Sua estratégia política está correta porque Caruaru é a maior cidade do interior de Pernambuco e não se concebe que fique da fora das chapas majoritárias do próximo ano. Deu o vice de Joaquim Francisco (Roberto Fontes) em 1990, o vice de Eduardo Campos em 2006 (João Lyra Neto) e o candidato a vice de Jarbas Vasconcelos em 2010 (Miriam Lacerda). E com muito mais razão poderá oferecer um vice em 2018 porque entrou no seleto clube dos municípios com mais de 200 mil eleitores. O senador ainda não deu pista sobre o nome do caruaruense que deverá fazer parte de sua chapa, mas quem apostar em João Lyra Neto ou em Douglas Cintra não estará muito fora da realidade.

MANDANDO BRASA - Um governador que faz o dever de casa

Resultado de imagem para Paulo CamaraEsta é a última coluna do meu blog do ano de 2017 e estou aproveitando-a para fazer uma reflexão. Não sobre mensagens de final de ano, mas sobre o trabalho desenvolvido por um homem que tem feito na medida do possível o seu trabalho. Falo do Governador Paulo Câmara. Não é defendendo o seu governo, que precisa sim, melhorar muitas coisas, mas sim pelo que estou vendo em diversos estados do país, num ano em que a crise abalou as estruturas das finanças públicas de todos os órgãos públicos. 

Estava assistindo a uma reportagem sobre o Rio de Janeiro que me deixou espantado. Assaltantes invadiram uma fila e roubaram cestas básicas de nada mais nada menos que os servidores públicos estaduais que estão a meses sem receber salário.Vamos ser justos, precisamos ser sinceros conosco mesmo: Nós temos um governador que está fazendo o seu dever de casa. Pernambuco não está em estado de calamidade; o nosso estado pagou o décimo terceiro de seus servidores.Enfim, temos um governador que pode até por conta das dificuldades financeiras impostas pela União a todos os brasileiros ,e mais ainda aqui no estado de Pernambuco por ter se posicionado contra o governo Temer, não fazer o que quer fazer no estado, mas sim o que se pode fazer.

Paulo Câmara não era político e assumiu a dura tarefa de se fazer líder em um dos piores momentos da economia brasileira. Em um momento que a violência cresce assustadoramente em todo o país, tanto que pesquisas de intenção de votos colocam o deputado fluminense Jair Bolsonaro como segunda opção dos brasileiros, tamanho é o descontentamento do nosso povo com a segurança, não tem como se esperar muito nessa área não. O governador tem se mostrado um homem educado, calmo, e atencioso diante dos conflitos que a cadeira de chefe do executivo lhe proporciona. Onde falta o tempero da política, sobra o da gestão. Pernambuco este ano de 2017, voltou a crescer como não crescia desde o início da crise. Isso se deve muito ao fato de termos um gestor à frente do Governo.

Por isso que Paulo vai com tranquilidade e naturalidade para o embate que o aguarda em 2018 onde talvez seu maior adversário seja ele próprio. Sim, porque a reclamação do povo pernambucano é gritante, e o governador não é um homem omisso. Mas ele peca onde muitos pecaram: Quem o rodeia. Tem muita gente ao redor do governador dizendo que está tudo bem, que tudo é por conta da crise, que ele faz um grande governo. Não! O governador precisa sair do seu comodismo que não querer enfrentar o problema de frente e de ir ao encontro de quem realmente tem muito o que reclamar e o que falar. Resolver o problema da violência de frente, como ele vem fazendo com a criação de batalhões especializados em todo o estado, não é tudo, mas já é um grande passo. 

É FEDERAL - O ex-vereador de Catende Rinaldo Barros (PSB) vai ser candidato a deputado federal em 2018. Advogado de sucesso, Rinaldo Barros coloca o seu nome à disposição do povo de Pernambuco e da mata sul para representá-los na Câmara Federal. De família de Maraial, Rinaldo pode ser a surpresa na eleição do ano que vem quando pesquisas apontam que a maioria esmagadora do povo brasileiro quer renovação.

EM DIA - A Prefeitura de Maraial que tem à frente o Prefeito Marquinhos Moura (PTB) fecha o ano de 2018 com as folhas de pagamento em dia. Foi feita uma força tarefa na prefeitura para colocar em dia todos os cargos: comissionados, contratados e efetivos. Tendo inclusive, pago o 13º aos contratados.

PERDA E SUBSTITUIÇÃO - Chocou a minha cidade de Belém de Maria a perda prematura do vereador Nino (PTB) de forma tão triste e lamentável. Um fato que deixou todo mundo abalado e a cidade em luto, pois Nino era acima de tudo alguém que sabia separar amizade da política e da religião. Em seu lugar, assume Frank (PTB), que é seu primeiro suplente.

COM LULA ou SEM LULA - O senador Armando Monteiro condicionou seu apoio a Lula se e somente se Lula não estiver no palanque de Paulo Câmara. Armando não digeriu a derrota de 2014 de jeito nenhum. E já avisou: Se Lula se aliar a Paulo Câmara, eu peço voto contra ele. A frase foi dita a prefeita Raquel Lyra.

RATEIO - A Prefeita Raquel Lyra (PSDB) rateou o restante do Fundeb com todos os professores da rede municipal de ensino de Caruaru. Todos os professores, sejam contratados ou efetivos, receberam nesse pagamento de dezembro um dinheiro a mais que foi do restante (rateio) dos 60% do fundeb. Serve de lição pra um monte de prefeituras, hein?

Silvinho Silva é editor do Blog do Silvinho
silvinhosilva2018@gmail.com

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Alckmin considera “legítima” candidatura do seu vice


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse hoje (28) à Rádio Jovem Pan que o seu vice, Márcio França (PSB), tem legitimidade para se candidatar ao Palácio dos Bandeirantes nas eleições do próximo ano, mas o ideal seria que tucanos e socialistas marchassem juntos na sucessão estadual.
“É legitimo, é natural (que França seja candidato). Qualidades não lhe faltam. Mário Covas dizia que ele (França) foi um dos melhores prefeitos de São Vicente (SP). O ideal é que estejamos juntos e ainda tem tempo para isso. O ideal é que mantivéssemos a coligação, mas, se não tivermos, para isso temos segundo turno”
Márcio França vai assumir o governo de São Paulo no mês de abril quando Alckmin desincompatibilizar-se para ser candidato a presidente da República.
O PSB deseja usar essa candidatura como “moeda de troca”, ou seja, só apoiaria Alckmin para presidente se o PSDB apoiasse França à reeleição, mas não vai colar.
O PSDB não abre mão de lançar candidato próprio ao governo de São Paulo e os socialistas sabem disto.

Governo cria novas unidades para fortalecer segurança em Pernambuco


O governador Paulo Câmara sancionou ontem (27) um conjunto de leis que criam novas unidades para o fortalecimento da área de segurança no Estado de Pernambuco.
Foram criados o 26º Batalhão da Polícia Militar, o 2º Batalhão Integrado Especializado e a 11ª Companhia Independente da Polícia Militar, além de novas Delegacias de Repressão ao Narcotráfico, novos grupamentos do Corpo de Bombeiros e unidades regionais da Polícia Científica.
Os atos foram publicados na edição desta quinta-feira do Diário Oficial de Pernambuco.
“Todas essas ações se integram ao nosso planejamento do ‘Pacto pela vida’ para melhorar a segurança em Pernambuco. Estamos terminando 2017 melhor do que começamos e, com certeza, com esse conjunto de medidas, teremos um 2018 com paz em todo o Estado”, disse o governador.
“Também estamos interiorizando a Polícia Científica e as Delegacias de Combate ao Narcotráfico, medidas necessárias que trarão respostas importantes contra a violência em Pernambuco”, disse o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua.
Com a criação do 2º Batalhão Integrado Especializado (2º BIEsp) em Petrolina – o primeiro já está em funcionamento em Caruaru –, o Sertão passa a contar com unidade especializada que antes só estava presente na Região Metropolitana do Recife.
Integrarão o 2º BIEsp policiais do Batalhão de Rádiopatrulha, Motopatrulhamento e Batalhão de Trânsito, o que proporcionará ao município a capacidade de fortalecer o combate a diversas modalidades de crimes na região.
Já a criação do 26º Batalhão de Polícia Militar ampliará as atividades de prevenção e combate aos crimes no Litoral Norte, englobando os municípios de Itapissuma, Igarassu, Itamaracá e Araçoiaba.
Já na região Agreste o policiamento ostensivo será fortalecido com a criação da 11ª Companhia Independente de Polícia Militar, que terá sede no município de Lajedo.
A unidade ampliará as atividades de prevenção e combate ao crime na microrregião de Garanhuns, com policiamento mais eficaz nos municípios de Lajedo, Jupi, Jucati, Panelas, Jurema, Calçados, Ibirajuba e Canhotinho.

Armando não apoiará Lula se ele estiver no palanque do PSB


Depois de uma declaração cheia de elogios e reconhecimentos a Lula, destacando que Pernambuco tem um dever de gratidão em relação ao ex-presidente, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) disse em entrevista na Rádio Cultura de Caruaru que “só não apoiará Lula na eleição de 2018 se ele estiver no palanque do PSB”.
Ora, até agora, o ex-presidente não fez de público qualquer aceno em direção ao senador petebista, possível candidato ao governo do estado. E os ventos sopram mais a favor do PSB, apesar dos esforços do deputado federal Sílvio Costa (Avante) em construir o palanque de Armando como apoio de Lula, sendo ele, o deputado, um dos candidatos ao Senado.
Assim, se Lula preferir o PSB, o que agradaria a muitos petistas pernambucanos, Armando estará sendo automaticamente preterido pelo eleitor mais cobiçado do país e mais desejado do estado, o que o deixará em uma grande desvantagem.

Propina à Petrobras também no governo FHC


Propina à Petrobras também no governo FHC
Para assegurar que ganharia contratos com o Brasil no Governo de Fernando Henrique Cardoso, o estaleiro de Cingapura, Keppel Fels, um dos maiores do mundo, afirmou que pagou propina à Petrobras. O objetivo do suborno foi para a construção da plataforma P-48 da estatal.
A notícia foi divulgada ontem pelo jornal “Folha de São Paulo”. Segundo a publicação, o suborno de US$300 mil teria sido pago em 2001 e 2002 para “funcionários do governo”, de acordo com o documento que está no Departamento de Justiça dos Estados Unidos.
No acordo de leniência, consta ainda que o Keppel Fels pagou um total de US$ 55,1 milhões ao PT e executivos da Petrobras ligados ao partido entre 2003 e 2012. O montante equivale a R$182,6 milhões em valores atuais. O estaleiro fez esse tipo de acordo com Brasil, Estados Unidos e Cingapura e pagou uma multa de R$1,4 bilhão. O valor pago durante o governo FHC chegou a US$ 800 milhões.
Essa não é a primeira vez que delatores falam em propina na Petrobras durante o governo FHC. Barusco já chegou a dizer que recebeu suborno em 1997 ou 1998 da multinacional holandesa SBM.
O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró afirmou que a Petrobras rendeu um total de US$ 100 milhões em propina para o governo FHC, sem apresentar provas. Cerveró conta ainda que o ex-senador Delcídio do Amaral, que era diretor de Gás na Petrobras no governo FHC e depois se tornou líder do PT no Senado, recebeu propina para fazer contratos de termoelétricas no valor de US$ 500 milhões, mas disse não saber o valor do suborno.

(Magno Martins)

Mendonça assina reajuste do piso dos professores

O ministro da Educação, Mendonça Filho, assinou, hoje, portaria com aumento de 6,81% para o piso salarial dos professores para 2018. O índice, anunciado pelo Ministério da Educação, é 4,01% acima da inflação prevista para este ano, que é de 2,8%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), divulgado na última semana pelo Banco Central (BC). Com isso, o piso nacional do magistério tem um ganho real de 3,90% e um salário de R$ 2.455,35, para jornada de 40 horas semanais.
“Esse é o segundo ano consecutivo que o piso é reajustado com valor real acima da inflação. O que é muito bom para os professores”, afirmou Mendonça Filho. Nos últimos dois anos, os professores tiveram um ganho real de 5,22%, o que corresponde a R$ 124,96.
O reajuste anunciado segue os termos do art. 5º da Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério, sempre a partir de janeiro. “Isso é importante, pois estamos cumprindo a lei que determina esse reajuste”, finalizou Mendonça Filho. 
Na última semana, o MEC realizou uma reunião com os membros do Fórum Permanente de Acompanhamento da Atualização Progressiva do Valor do Piso Salarial para Profissionais do Magistério Público da Educação Básica. Na ocasião, foi aberto diálogo com representantes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) – que representam os estados – e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Dodge: suspensão imediata de indulto natalino de Temer


Blog Poder 360 Ana Kruger
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou nesta 4ª feira (27.dez.2017) ao STF (Supremo Tribunal Federal ) Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o indulto natalino decretado pelo presidente Michel Temer (eis a íntegra). O decreto beneficia, por exemplo, condenados pelos crimes do colarinho branco e foi criticada por várias entidades.
Parte inferior do formulário
Ao frisar que o atual decreto já foi classificado como o “mais generoso” entre as normas editadas na última duas décadas, a PGR avalia que ele será causa de impunidade de crimes graves como os apurados no âmbito da Lava Jato e de outras operações de combate à corrupção sistêmica registrada no país. Como exemplo Dodge cita que, com base no decreto, uma pessoa condenada a oito ano e 1 mês de reclusão não ficaria sequer 1 ano presa.
A Constituição restará desprestigiada, a sociedade restará descrente em suas instituições e o infrator, o transgressor da norma penal, será o único beneficiado”,fala. Como o STF está em recesso, a ADI deverá ser analisada pela presidente da Corte, ministra Carmem Lúcia.

MANDANDO BRASA - O novo MDB


O que esperar deste "novo" PMDB, que agora volta a se chamar MDB? A esta pergunta o senador Romero Jucá se propôs a responder aqui mesmo, neste espaço (20/12).
Mas, como um hábito corriqueiro da sua pessoa, ele falta com a verdade. Esconde e manipula os fatos para, como sempre, deles se aproveitar. Um cidadão que não reúne as mínimas condições de ser um senador —com uma trajetória marcada por denúncias e inquéritos envolvendo corrupção— não pode liderar um partido que, na sua história, tem o DNA de homens como Ulysses Guimarães e Pedro Simon.
A origem do PMDB está na luta pela democracia e na prática republicana da política. Esses pilares passam longe da condução que impôs ao partido o desqualificado e medíocre Romero Jucá, que tem a necessidade peculiar de estar sempre no poder e dele se locupletar.
Nos últimos 20 anos, foi líder do governo Fernando Henrique Cardoso e do governo Lula, ministro de Lula e ministro do governo Temer, cargo que só deixou após a revelação de que agia nos bastidores para acabar com a Lava Jato.
Fazer política e liderar um partido é, antes de tudo, respeitar as diferenças. O próprio presidente Michel Temer, que por 14 anos presidiu o PMDB, compreendeu essa realidade. Jucá faz o contrário. Fez constar no dia a dia do partido a prática da intervenção e da ameaça.
Por interesse próprio, está agindo em Pernambuco para tomar de golpe a legenda e entregá-la ao senador Fernando Bezerra Coelho, que tal qual Jucá não preza a coerência na vida pública.
Fernando Bezerra Coelho também tem uma história marcada por adesismos de ocasião e segue enrolado com a Justiça. Como uma espécie de nômade partidário, foi filiado ao PDS, ao antigo PFL, ao PMDB, ao PPS, ao PSB e agora voltou a integrar o PMDB.
Ele foi aliado de Lula, ministro de Dilma Rousseff e, agora, integra a base de Temer. Alardeia em Pernambuco que representa o "novo". Deve ser o mesmo conceito de "novo" que Jucá usou na convenção nacional para justificar a mudança no nome do partido. Merecem-se.
Não tenho dúvidas de que a prática da intervenção —que remonta aos tempos mais sombrios que este país já viveu e agora faz parte da gestão do "novo" MDB— não ficará restrita a Pernambuco ou à minha pessoa. Vai ser replicada nos demais Estados onde Jucá e seus amigos encontrem resistência. No modus operandi dele, quem se contrapõe às suas ideias e projetos vai ser alvo, como eu fui e estou sendo, de perseguição e truculência.
Por isso, é hora de as vozes e de as posturas contrárias a tudo isso se fazerem presentes. É hora de outros membros do partido reagirem para evitar que esse rolo compressor antiético e amoral siga em frente; caso contrário, ele atingirá muitos daqui pra frente.
Decidi ir contra essa maré nefasta que Jucá impõe ao partido que ajudei a fundar. Decidi lutar em todas as frentes políticas e legais possíveis. É isso que faço em meu Estado, onde acionei a Justiça. Vou até as ultimas consequências por entender que minha história, minha trajetória de mais de 40 anos de vida pública, não vai ser manchada por uma pessoa como Romero Jucá.
O "choque de gestão" que Jucá mencionou e que fará à frente do "novo" MDB só realmente acontecerá se atingir em cheio sua própria pessoa. É preciso que a Justiça faça a parte que lhe cabe e prossiga, com a devida atenção e celeridade, com as investigações que o envolvem.
É necessário que um cidadão com a conduta de Romero Jucá, que parece debochar das instituições e, sobretudo, do povo brasileiro, tenha o que merece. Sair algemado do Congresso Nacional é pouco para quem tanto mal fez e faz ao país.
Eu disse na tribuna da Câmara dos Deputados e reafirmo: não me curvarei. Estar na trincheira e na resistência democrática lutando e combatendo homens como Romero Jucá faz parte da minha vida e da história do partido que ajudei a criar. E assim será. Sempre!
*JARBAS VASCONCELOS, advogado, ex-senador e ex-governador de Pernambuco (1999-2006), é deputado federal (PMDB) 

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Armando visita Caruaru e Garanhuns e reafirma compromisso com Raquel Lyra e Izaías Régis

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) visitou, nesta quarta-feira (27), os municípios de Caruaru e Garanhuns, no Agreste pernambucano, e encontrou-se com a prefeita Raquel Lyra (PSDB) e o prefeito Izaías Régis (PTB), respectivamente. Nos encontros, o petebista reafirmou sua disposição de colaborar com os governos municipais, no sentido de atrair mais investimentos e obras e levar políticas públicas e ações para as cidades e região. As agendas contaram com as presenças do ex-governador João Lyra Neto (PSDB), dos deputados estaduais Augusto César (PTB) e Álvaro Porto (PSD), do prefeito de Canhotinho, Felipe Porto (PSD), do suplente de senador Douglas Cintra (PTB), entre outras lideranças.

Em Caruaru, a prefeita Raquel Lyra apresentou a Armando o balanço do primeiro ano de gestão, elencando as principais ações da gestão. A gestora também destacou as prioridades do governo para o próximo ano, como a construção de escolas e creches, do hospital materno-infantil, além da requalificação de praças, entre outros projetos. Para o senador, a visita permitiu trocar informações sobre os projetos executados pela Prefeitura e verificar formas de continuar colaborando com o desenvolvimento do município.

“Foi uma visita produtiva no sentido de que pudemos trocar ideias e atualizar a visão sobre as propostas do governo. Viemos a Caruaru para poder reafirmar o compromisso que temos nessa parceria, que foi inaugurada desde o início da gestão da prefeita Raquel Lyra, trazer nossa disposição para ampliar a parceria e, sobretudo, viabilizar importantes projetos”, afirmou Armando. “Viemos também trazer o nosso abraço na perspectiva que tenhamos um ano muito importante para o País e para Pernambuco, em 2018. Pernambuco que, mais do que nunca, precisa construir novos caminhos e retomar sua posição de liderança na região”, completou.

A prefeita Raquel Lyra destacou a parceria com o senador Armando Monteiro e o trabalho desenvolvido pelo petebista, em Brasília, em benefício do desenvolvimento de Caruaru. “Foi um prazer receber o senador para poder tratar dos interesses da cidade. O senador tem sido nosso parceiro desde a primeira hora e continua com o compromisso com Caruaru, trabalhando por nós lá em Brasília para destravar convênios e contratos e ajudar o município a crescer e ser uma cidade mais justa”, agradeceu.

Em Garanhuns, o senador Armando Monteiro visitou o comércio do município, conversou com a população e destacou os avanços conquistados pela gestão do prefeito Izaías Régis. “Viemos reafirmar o compromisso com Garanhuns e fico satisfeito de verificar que o prefeito Izaías Régis tem administrado muito bem a cidade. Nossa disposição é de continuar e fortalecer parceria com a prefeitura. O prefeito tem feito o seu dever de casa e sido proativo, animado a vida da cidade e ajudado a animar a economia. Garanhuns tem sido palco de eventos que repercutem em Pernambuco, como a Magia do Natal, que foi um sucesso. Tudo isso estreita ainda mais a nossa parceria”, disse Armando.

O eterno retorno

Por José Nêumanne*

Sabe aquele truque do punguista que bate a carteira do transeunte incauto e, antes que ele reaja, sai correndo e gritando “pega ladrão” pela rua acima? Pois é esse exatamente o golpe com que o Partido dos Trabalhadores (PT) enfrenta a pendenga judicial protagonizada pelo seu primeiro, único e eterno candidato à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, aiatolula para seus devotos, Lulinha paz e amor para os que por ele se deixam enganar. Primeiro, eles gritam “golpe!”, como gritaram quando Dilma Tatibitate Rousseff foi derrubada pelas próprias peraltices, anunciando que disputar voto sem ele na cédula não é eleição, é perseguição. Depois saem correndo atrás do prejuízo... dos outros.

A narrativa desse golpe, que eles tratam como se fosse um contragolpe, é a de que seu plano A a Z de poder tem sido acusado, denunciado e condenado e está agora à espera de uma provável, embora ainda eventual, confirmação da condenação em segunda instância. No caso, a Polícia Federal atuaria como se fosse um bate-pau de coronéis da política, que não querem ver o chefão de volta ao poder para desgraçar o Brasil de vez, depois do desastre que produziu a distribuição igualitária do desemprego dos trabalhadores e da quebradeira dos empresários, esta nossa isonomia cruel. O Ministério Público Federal seria um valhacouto de pistoleiros dos donos do poder. E os juízes que condenam, meros paus-mandados de imperialistas e entreguistas. Quem vai com a farinha da lógica volta com o pirão da mistificação: é tudo perseguição.

Talvez seja o caso, então, de lembrar que nem isso é original. Aqui mais uma vez o PT pavloviano que baba quando o padim fala recorre à filosofia pré-socrática do velho Heráclito de Éfeso proclamando o eterno retorno. Não queriam refundar o PT depois do assalto geral aos cofres da República? Pois muito bem, lá vão voltando os petistas às suas origens nos estertores da ditadura. Naquele tempo, os grupos fundidos hesitavam entre a revolução armada e a urna. Optaram pela paz e prosperaram.

Os guerrilheiros desarmados à custa de sangue, tortura e lágrimas voltaram do exílio convencidos de que só venceriam se assumissem o comando de um partido de massas. E o ideal para isso seria empregar o charme dos operários do moderno enclave metalúrgico do ABC. Lula, que desprezava os filhinhos de papai do estudantado e os clérigos progressistas, aceitou o papel que lhe cabia de chefe dos desunidos e então reagrupados. Afinal, sua resistência à volta dos ex-armados era só uma: queria dar ordens, nunca seguir instruções. E deixou isso claro a Cláudio Lembo, presidente do PDS paulista e emissário do general Golbery do Couto e Silva enviado a São Bernardo para convencê-lo a apoiar a anistia.

A conquista da máquina pública não derramou sangue dos militantes, que avançaram com sofreguidão sobre os cofres da viúva e os dilapidaram sem dó. Viraram pregoeiros do melhor e mais seguro negócio do mundo: ganhar bilhões sem arriscar a vida, como os traficantes do morro, demandando apenas os sufrágios dos iludidos. A desprezada e velha democracia burguesa virou um pregão de ocasião: só o voto vale. A eleição é a única fonte legítima do poder. Os outros pressupostos do Estado democrático – igualdade de direitos, equilíbrio e autonomia dos Poderes, impessoalidade das instituições – foram esmagados sob o neopragmatismo dos curandeiros de palanque.

A polícia, o Ministério Público e a Justiça tornaram-se meros (e nada míseros!) coadjuvantes da sociedade da imunidade que virou impunidade. A lei – ora, a lei... – é só pretexto. Agora, por exemplo, a Lei da Ficha Limpa, de iniciativa popular, é um obstáculo que, se condenado na segunda instância, Lula espera ultrapassar sem recorrer mais apenas às chicanas de hábito, mas também à guerrilha dos recursos. Estes abundam, garantem Joaquim Falcão e Luiz Flávio Gomes, respeitáveis especialistas.

Não importa que a alimária claudique, eles almejam mesmo é acicatá-la. Formados no desprezo à democracia dos barões sem terra e dos comerciantes sem títulos dos séculos 12 e 18, os lulistas contemporâneos consideram o voto, que apregoam como condão, apenas um instrumento da chegada ao poder e de sua manutenção – como a guilhotina e a Kalashnikov. José Dirceu, que não foi perdoado por ter delinquido cumprindo pena pelo mensalão, ganhou o direito de sambar de tornozeleira na mansão, conquistada com o suor de seus dedos, por três votos misericordiosos. Dias Toffoli fora seu subordinado. Ricardo Lewandowski criou a personagem Dilma Merendeira. E Gilmar Mendes entrou nessa associação de petistas juramentados como J. Pinto Fernandes, o fecho inesperado do poema Quadrilha, que não se perca pelo título, de Carlos Drummond de Andrade. Celso de Mello e Edson Fachin foram vencidos.

Na semana passada, o ex-guerrilheiro, ex-deputado e ex-ministro estreou coluna semanal no site Nocaute, pertencente ao escritor Fernando Moraes, conhecido beija-dólmã do comandante Castro. Na primeira colaboração, Dirceu convocou uma mobilização nacional no próximo dia 24 de janeiro, em defesa dos direitos do ex-presidente Lula, “seja diante do TRF-4, em Porto Alegre, seja nas sedes regionais do Tribunal Regional Federal” (sic). O post, com o perdão pelo anglicismo insubstituível, é a síntese da campanha que atropela o Código Penal e a Lei da Ficha Limpa, apelando para disparos retóricos e balbúrdia nas ruas, à falta de argumentos jurídicos respeitáveis. Nada que surpreenda no PT, cujo passado revolucionário sempre espreitou para ser usado na hora que lhe conviesse. E a hora é esta.

O voto é apenas lorota de acalentar bovino. Estamos com a lei e o voto, que já lhes faltou no ano passado e dificilmente será pródigo no ano que vem. Mas não podemos vivenciar a fábula A Revolução dos Bichos, de Orwell. Pois o papel de ruminantes é o que nos destinaram. Só nos resta recusá-lo.

*Jornalista, poeta e escritor

Édson Vieira disputará vaga na Câmara Federal se Bruno Araújo candidatar-se a senador


O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), reafirmou nesta terça-feira (26) a uma emissora de rádio do Agreste que será candidato a deputado federal em 2018, caso o ex-ministro Bruno Araújo (PSDB) vá para uma disputa majoritária.

“Andaram dizendo que eu não seria candidato, mas o nosso projeto está em pé. Bruno Araújo sendo candidato majoritário, o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe será candidato à Câmara Federal. Será uma oportunidade ímpar para a região ter novamente um deputado federal”, declarou o prefeito (o último deputado federal da região foi o ex-prefeito José Augusto Maia).

Édson Vieira garantiu que está conversando com políticos de outras regiões visando ao fortalecimento de sua candidatura.

Por outro lado, durante confraternização com os órgãos de imprensa, o prefeito informou que conseguiu investir até agora mais de R$ 70 milhões no município. Disse também que depois de 15 anos a prefeitura realizará um novo concurso público, cujas inscrições poderão ser feitas até o dia 21 de janeiro próximo. Serão preenchidas cerca de 500 vagas.

Temer: Aprovar a Previdência agora adia uma reforma


Do G1

O presidente Michel Temer disse, hoje, que aprovar a reforma da Previdência agora vai adiar uma mudança "muito mais radical" nas regras previdenciárias. Ele citou medidas tomadas por nações europeias, como o corte de vencimentos de servidores públicos, que, segundo Temer, poderão ser necessárias no futuro caso a reforma não passe.

O presidente discursou durante um evento de assinatura da criação da zona de processamento de exportações do porto de Açu, no estado do Rio de Janeiro. Temer aproveitou a ocasião para defender as reformas do governo, em especial a da Previdência, que classificou de "fundamental".

"Se nós não fizermos agora, não haverá um candidato a governador, não haverá um candidato presidente, não haverá um candidato a deputado federal, a senador que não tenha que tocar no assunto, porque será cobrado a respeito da reforma da Previdência. E, sobre ser cobrado, ainda quando tiver que fazê-la, terá que fazer uma reforma muito mais radical, radical do tipo daquela que ocorreu em estados europeus, e que houve cortes de pensão, de 20, 30%, houve corte de vencimento de servidores públicos", afirmou o presidente.

"Portanto, quando fazemos agora uma transição da Previdência, uma reforma da Previdência, estamos adiando essa, digamos assim, radicalidade com que se há de fazer a reforma da Previdência mais adiante", concluiu Temer.

Inicialmente, o governo previa votar a reforma na Câmara ainda em dezembro, por considerar o tema de difícil análise em ano eleitoral. Após semanas de negociação, ao perceber que ainda não tinha votos suficientes, anunciou a votação para fevereiro. No discurso desta quinta, o presidente disse que a reforma será aprovada naquele mês.

Segundo Temer, assim como aconteceu com outras propostas do governo que se tornaram leis, como a reforma trabalhista e o teto dos gastos públicos, a da Previdência está vencendo a resistência inicial.

Vai com Deus Nino

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos de sol e atividades ao ar livreSim hoje eu silenciei. Com a perda de duas pessoas: Dona Creuza que me viu crescer e eu quando a via, via minha mãe.E também com a perda de um jovem em destaque na política da minha cidade de Belém de Maria, que tinha com certeza um futuro promissor pela frente, mas quis Deus o chamar neste dia. 

Sobre Nino, eu o conheci em 2013 quando por ocasião de sua eleição ao conselho tutelar ajudei na ministração do curso de aperfeiçoamento dos conselheiros. Me alegrei com sua eleição para vereador em 2016 quando ali tive a oportunidade de conhecer mais sobre sua vida. Enfim, em outras postagens aqui neste blog, eu já tinha dito que o vereador belenense era uma das vozes futuristas da cidade e tinha como crescer.

Quis Deus e o destino que sua missão se encerrasse hoje, 27 de dezembro de 2017. Que Deus acolha em seus braços, pai. A tristeza é muito grande, mas Deus vai nos consolar e nos dar a certeza que você está num lugar bem melhor. 

As imagens que estou postando aqui são fortes: Eu nunca o vi triste. Que sua imagem de felicidade sempre esteja em meu coração.


De seu colega,
De seu parceiro,
O "seu blogueiro"

Silvinho Silva

MANDANDO BRASA - O governador ouviu a mata sul

Representantes da mata sul, em especial, da coordenação do movimento SOS BARRAGENS estiveram reunidos ontem no Palácio das Princesas com o governador Paulo Câmara (PSB) para discutirem ações de curto, médio e longo prazo com relação a construção das barragens de contenção que haviam sido prometidas ainda quando o governador era Eduardo Campos. Presentes na reunião, líderes políticos, religiosos como o Bispo de Palmares Dom Henrique Soares da Costa ouviram do governador a promessa de que no início de 2018 as obras de duas barragens estariam sendo reiniciadas.

Neste bojo estariam a barragem de Igarapeba e dos Gatos, esta última que vai proteger o povo da minha querida e amada terra de Belém de Maria, bem como do nosso querido povo de Catende. Que seja verdade! A nossa região não merece mais estar sofrendo por conta de fortes chuvas que enchem os rios e que transformam as cidades em um verdadeiro caos. É um passo para se acabar com a indústria das enchentes, de prefeitos, empresários que parece que rezam pra que aconteçam esse tipo de desastre para obterem facilidades em licitações e assim conseguirem verbas para sabe-se lá Deus o quê!

Mas o governador ouviu! O governador também falou! Esperamos que as obras verdadeiramente saiam do papel porque como diz o dito popular "quem vive de promessa é santo" e nesse mundo não tem tanto santo assim. 
Em sua fala, o Bispo diocesano de Palmares foi duro. "Ou resolve esta questão das barragens, ou esqueçam os votos da mata sul". Ora, são 500 mil eleitores que votam em nossos grotões, sem contar outras cidades que são atingidas pelos mesmos males. O governador e bem como os deputados sabem que são muitos votos e que fazem e muito a diferença.

REGIÃO ESQUECIDA - Não soou bem aos ouvidos do governador e nem de deputados da base aliada que a a região foi totalmente abandonada e esquecida pelo governo Paulo Câmara. A tese em defesa do trabalho feito na região foi defendida a unhas e dentes pelos aliados que não querem reconhecer a fragilidade e o descaso com a região mais pobre de Pernambuco.

Silvinho Silva é editor do Blog do Silvinho
silvinhosilva2018@gmail.com

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Datafolha diz que 70% dos brasileiros são contra a venda de estatais

 Pesquisa do Datafolha divulgada nesta terça-feira (26) pelo jornal “Folha de São Paulo” revela que sete em cada grupo de 10 brasileiros são contrários à privatização de estatais.

A maioria (67%) dos entrevistados vê mais prejuízos do que benefícios na venda de companhias brasileiras para grupos estrangeiros.

Os eleitores que se opõem às privatizações são maioria por região, sexo, grau de escolaridade, preferência partidária e aprovação ao governo do presidente Michel Temer.

O único segmento que apoia as privatizações é o que é formado por pessoas com renda superior a 10 salários mínimos: 55%. Entre os que ganham até dois salários mínimos, somente 13% são a favor.

Os moradores do Norte e Nordeste são os que mais resistem às privatizações, com 78% e 76% de reprovação, respectivamente. Quem mora no Sudeste é quem mais aceita as privatizações: 67% são contrários e 25% a favor.

Eventual privatização da Petrobras, ora presidida por Pedro Parente, também foi condenada pela maioria dos entrevistados: 70% são contrários e 21% a favor.

Pesquisa: 4 em 10 eleitores não votam em deputado federal

Jornal do Brasil
De acordo com um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, 41% dos brasileiros têm a intenção de anular o voto para deputado federal. A pesquisa, feita com mais de 2 mil eleitores de 25 estados e do Distrito Federal, revela que a disposição para anular o voto é ligeiramente maior entre os menos escolarizados.
Ainda de acordo com os dados, entre os entrevistados com ensino superior, 38,5% pretendem anular o voto para deputado, enquanto 42,1% dos que têm o ensino fundamental mostram o mesmo desejo. Outros 11% não sabem ainda o que fazer com seu voto.
A pesquisa ouviu 2.020 eleitores em todo o Brasil entre os dias 18 e 21 de dezembro. A margem de erro para os resultados gerais é de 2%.

Governador recebe representantes do SOS barragens no Palácio

O Movimento SOS Barragens, através da sua comissão executiva, será finalmente recebido no Palácio do Campo das Princesas nesta terça-feira (26), a partir das 15h00min, para uma audiência especial com o governador do Estado, Paulo Câmara, onde será discutida a conclusão das barragens de contenção da região.

Na pauta do encontro, os articuladores do Movimento pretendem sensibilizar o chefe do executivo estadual para que o mesmo envide todos os esforços, no sentido de agilizar a liberação de recursos financeiros para as obras de construção das quatro Barragens restantes, como forma de extinguir a ameaça de novas enchentes, que só trazem amarguras e prejuízos às famílias radicadas nas cidades situadas na ponta final da Mata Sul.

Posicionamento das lideranças

Conforme o presidente do Sindlojas, José Jorge, a oportunidade é única para pressionar o Governo do Estado. “Ou soluciona esse problema crônico de cheias, ou os eleitores não votarão mais em ninguém, até que um dia apareça um político de vergonha na cara que enxergue a nossa região com olhos mais humanos”, desabafou o sindicalista, revoltado com o descaso dos governadores, deputados federais e estaduais, que só lembram de Palmares e da Mata Sul quando chega a Eleição.

“Enquanto isso nossa região não se desenvolve, não tem progresso e nada avança, porque nenhum empreendimento de porte quer se instalar numa área sujeita a verdadeiros dilúvios, como é a nossa região”, arremata o presidente da Câmara de Diretores Lojistas – CDL, Wilson Monteiro.

Para o grão-mestre da Loja Maçônica Fraternidade Palmarense, advogado Pedro Paulo, coordenador do Movimento SOS Barragens, a culpa só recai sobre a representação política desta região, que tem se mostrado fraca, incompetente e descompromissada com o futuro e o bem estar da população. “Não podemos ficar de braços cruzados, esperando que um milagre nos livre de novas hecatombes, por isso estamos tentando sensibilizar as esferas governamentais para que tomem uma providência, porque o povo já não aguenta mais tanto descaso e desatenção dos políticos, que direta ou indiretamente são os responsáveis pelo problema”, pontuou.

E prossegue: “Estamos cansados de dar votos gratuitamente, sem cobrar nada de contrapartida, algo que venha beneficiar e melhorar o progresso e desenvolvmento desta região. Cadê o restante das Barragens para acabar com essa insegurança, o Pólo Industrial, a Central de Abastecimentos – CEAPA, o IML e a UPA dos Palmares? Não é possível que vamos continuar sendo enrolados e ludibriados pelos representantes da política, que não enxergam o nosso sofrimento e nem fazem nada para resolver a questão”, enfatizou o líder maçônico.

Para o vereador de Cortês e integrante do SOS Barragens, Salatiel Carvalho, a única solução é espremer o governador que está querendo se reeleger. “Vamos com tudo hoje ao Palácio, em busca de uma solução para essa situação caótica e vergonhosa, que vem se arrastando desde 2011 por culpa do próprio governo estadual”, declarou o mesmo, alegando que dinheiro não falta aos cofres do Estado.

“O que falta é pressão da sociedade através das lideranças, para que o Sr. Paulo Câmara se envergonhe dessa chaga e desse atraso chamado enchente, e resolva dar um ponto final nessa calamidade pública, que só produz atrasos e prejuízos ao municípios, empresários, comerciantes e às populações”, destacou o político, confiante de que a audiência hoje à tarde já será um avanço importante.

Pacto da Verdade

Para o bispo da diocese dos Palmares, dom Henrique Soares da Costa, nada justifica esse flagelo das cheias sazonais destruindo tudo o que se edifica na Mata Sul. “O Dr. Paulo Câmara precisa abrir os olhos para o estado de miséria e abandono desta região, uma área esquecida pelo poder público, que só é lembrada quando chega o ano eleitoral. Hoje nós vamos firmar um pacto da verdade com o Sr. Governador: ou conclui as Barragens ou ninguém vota mais em político nenhum na Mata Sul inteira”, vaticinou o preocupado religioso.

Redação: Portal Mata Sul.


Armando Monteiro pode marchar com Paulo Câmara, diz deputado

Resultado de imagem para Armando monteiroO cenário político-eleitoral em Pernambuco ainda está indefinido, e depois das declarações do deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) passou a ficar confuso na cabeça do eleitorado. Em sua confraternização de fim de ano com a imprensa local, O socialista disse a este Blog que o seu partido e o PT já bateram o martelo para 2018. Ou seja: vão marchar pela reeleição do governador Paulo Câmara (PSB).

Gonzaga colocou num eventual palanque até mesmo o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que sonha em disputar o Campo das Princesas, e não descartou a presença do ex-prefeito de Petrolina Julio Lossio (PMDB).

Ainda é cedo para avaliar, Mas Gonzaga não é afeito a blefes. Do jeito em que o cenário no Estado se encontra, nenhuma aliança para as eleições do ano que vem está descartada.

Do Carlos Britto

MANDANDO BRASA - Quem paga o pato, são os trabalhadores.

Resultado de imagem para Reforma trabalhistaA reforma trabalhista que foi assinada pelo presidente Temer no dia 13 de julho de 2017, começou a fazer suas vítimas em nossa região.A reforma passou a entrar em vigor no dia 11 de novembro de 2017. Conheci um deles, que conversou comigo na noite de natal. Ele estava todo contente pois tinha sido chamado para trabalhar no dia 3 de novembro, ele fez os exames, e o patrão disse: - A gente só vai poder lhe contratar no dia 16. Ele disse que na hora ficou muito contente pois já faziam meses que estava sem trabalhar e essa nova oportunidade saltava-lhe os olhos.

Acontece que exatamente um mês depois, no dia 16 de dezembro a empresa estava mandando embora todos os contratados naquela data. Isso fez com que o natal deste pai de família ficasse mais amargo. Recebeu o que tinha de receber e a promessa de que logo poderia ser chamado novamente. Em outra empresa, muito conhecida no agreste pernambucano, na qual um amigo meu trabalha, ele me telefonou e disse: - Vai pra fora cerca de 300 pessoas.

Eu me espantei com o número, pois não faziam dois meses que haviam sido contratados. Eles foram pegos pela reforma trabalhista do governo Temer, que está em um fenômeno de vôo de galinha. Não me venha com essa história que no Brasil está tendo recuperação na economia e geração de emprego porque se for desta qualidade que o governo está contando os números positivos de seu governo, este não pode ser levado a sério. É como gerar no mês de novembro 3 mil empregos e no mês de dezembro ou janeiro os mesmos 3 mil irem para o olho da rua. Agora se você começar a Ler os jornais dos patrões, a Globo, entre outros da mídia do estado, vão ter a ligeira impressão de que estamos retomando o crescimento econômico.

Realmente, patrões e empresários devem estar fazendo a farra e recuperando a economia deles.Mas, a dos pobres, dos trabalhadores, não falo desses que vivem fazendo greve e tocando fogo em pneus em beira de rodovias, mas de pessoas como esses dois amigos meus que mal se envolvem e conhecem de política. Esses estão sim, perdendo economicamente, perdendo direitos, perdendo valor e o pior: perdendo expectativas com relação ao emprego.

O motivo já é conhecido de todos: O pau só se quebra do lado dos mais pobres, infelizmente. E que esse Brasil precisa de reformas, nós já sabemos. No entanto, elas devem começar no Planalto, no Senado, na Câmara Federal, nas Assembleias Legislativas, nos Governos. Tá na hora de colocar lá gente que pense no povo e não em quem vai estar ajudando a financiar suas campanhas.

A FAVOR - O povo de Pernambuco não deve e não pode esquecer os nomes dos deputados federais que votaram a favor da reforma trabalhista. Eles ajudaram a proporcionar a geração de emprego do chamado vôo de galinha.

LEMBREM DOS NOMES:
Eis os nomes dos que votaram a favor da reforma trabalhista:

Adalberto Cavalcanti (PTB)
André de Paula (PSD)
Augusto Coutinho (Solidariede)
Betinho Gomes (PSDB)
Bruno Araújo (PSDB)
Carlos Eduardo Cadoca (PDT)
Daniel Coelho (PSDB)
Fernando Coelho Filho (PSB)
Fernando Monteiro (PP)
Jarbas Vasconcelos (PMDB)
João Fernando Coutinho (PSB)
Jorge Côrte Real (PTB)
Kaio Maniçoba (PMDB)
Marinaldo Rosendo (PSB)
Mendonça Filho (DEM)
Ricardo Teobaldo (PTN)

BARRAGENS - Hoje tem audiência no Palácio das Princesas sobre a questão das barragens de contenção. Lideranças do movimento SOS BARRAGENS e também políticos, lideranças e o bispo diocesano dos Palmares Dom Henrique Soares, estarão conversando com o governador Paulo Câmara.

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Silvio Costa aceita ser candidato a senador na chapa de Marília

Resultado de imagem para Silvio Costa Filho e Marilia ArraesO deputado federal Silvio Costa (Avante) esteve recentemente com o ex-presidente Lula e na conversa discutiram o cenário de Pernambuco. O deputado, atendendo a um convite do ex-presidente disse que aceitaria disputar uma vaga no senado na chapa que Marília Arraes (PT). 

Ainda de acordo com uma fonte, Silvio Costa estaria animado com os números que Marília atingiu em recente pesquisa e principalmente que ela é a candidata mais forte da oposição que pode vencer o governador Paulo Câmara. Silvio Costa não esconde de ninguém o desejo de ser candidato de Lula ao Senado. 

Desgostoso - O deputado federal Silvio Costa anda bastante desgostoso com a união do Senador Armando Monteiro (PTB) com partidos como o PSDB, DEM, PMDB. O deputado gostaria de reeditar a aliança de 2014 com Armando candidato ao governo do estado e tendo Marília de vice.

domingo, 24 de dezembro de 2017

Feliz Natal a todos!


Rinaldo Barros, será candidato a deputado federal

O advogado e ex-vereador de Catende, Rinaldo Barros, atualmente no PSB pode ser a grande surpresa na disputa de 2018 por uma vaga na Câmara Federal. Rinaldo, que já tem seu nome lembrado como pré-candidato a prefeitura de Catende em 2020 pelo grupo político da oposição disse em conversa com esse blogueiro que pretende disputar uma das 25 vagas destinadas a Pernambuco.
"Estamos estudando essa possibilidade que tem muita chance de se tornar concreta de colocar o nosso nome à disposição de Catende e da região da mata sul e do estado para que possamos ser uma voz e uma grande representação em Brasília, em busca de recursos para ajudar no desenvolvimento da nossa região e do nosso estado" disse Rinaldo Barros.
O ex-vereador catendense já recebeu convites de alguns partidos para entrar na disputa: O PSDC, PSL, PHS, e o próprio PSB. De acordo com o advogado, o momento é de estudo de propostas e de discussão. Ele pretende anunciar oficialmente até março se entrará de fato na disputa e por qual partido disputará o mandato de deputado.

sábado, 23 de dezembro de 2017

Divulgada programação da Festa de São Sebastião em Bonito

Com apresentações de Matheus e Kauan, Léo Magalhães, Simone e Simaria, Gabriel Diniz e Davidson Silva, acontecem a partir do dia 18 de janeiro até o dia 21 os shows em comemoração à 202ª Festa de São Sebastião, em Bonito, Agreste de Pernambuco. O festejo completa mais de dois séculos de existência, em homenagem ao santo padroeiro do município. A entrada é gratuita.

Segundo a prefeitura, são esperados cerca de 250 mil turistas nos dias do evento. A programação conta com oito shows, nos quais se destacam os gêneros forró e sertanejo. As atrações se apresentarão em uma estrutura montada no Pátio de Eventos.

Ainda de acordo com as expectativas da prefeitura, com a festa, R$ 4,5 milhões devem ser injetados na economia local, gerando quase dois mil empregos diretos e indiretos.

Aspecto religioso
Shows religiosos também estão marcados para acontecer durante as comemorações da Festa de São Sebastião. No dia 18 de janeiro sobem ao palco do evento cantor Davidson Silva e o padre Cleidimar Moreira.

Eleitor ainda dá importância ao Estado, crê Oliveira

Eleitor ainda dá importância ao Estado, crê Oliveira
Mesmo com as investigações da Operação Lava Jato, que revelaram negociatas e ilicitudes cometidas por gestores públicos e parlamentares de todos os lados do espectro político, ao fim e ao cabo, o que deve permear a decisão de voto do eleitor em 2018 são questões práticas, como o cumprimento de promessas e se o cidadão já foi, de alguma forma, beneficiado por suas ações. Essa é uma das constatações obtidas pelo cientista político Adriano Oliveira, vinculado à Universidade Federal de Pernambuco e à Universidade Maurício de Nassau, que lançou o livro O eleitor é um enigma?, em parceria com o estatístico Carlos Gadelha. "Para o eleitor, a classe política está contaminada. Ele vai selecionar por outro viés e por outros fatores emocionais", acredita Oliveira. Um deles ainda é a valorização do papel do Estado em prover "mobilidade social" à população. "Ser empreendedor não significa dispensar o Estado", salienta o professor Oliveira. 

Jornal do Comércio - Qual é, afinal, o perfil do eleitor brasileiro? 
Adriano Oliveira - Identificamos que o eleitor tolera aquela pessoa que rouba, mas faz. E também que, em época de crise, os eleitores são mais tolerantes com os gestores, porque (o eleitor) parte do princípio de que a crise afetou o trabalho desses gestores. Também constatamos que nossa juventude deseja o Estado. Os princípios liberais não têm aderência no eleitorado, principalmente entre os jovens, porque ele quer a presença do Estado perto dele, por conta da carência social. 

JC - Mas, no início do ano, uma pesquisa da Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT, constatou um "liberalismo popular" na periferia de São Paulo. Querer a presença do Estado não é conflitante em relação a isso? 
Oliveira - Fizemos uma pesquisa semelhante no Recife. Mostramos que os eleitores da classe C e D, na periferia, também são empreendedores. Mas não empreendem pela alta carga tributária do Estado e acham que o empreendedorismo é difícil para quem tem de sobreviver e correr atrás do emprego. No entanto, isso não significa que ser empreendedor é dispensar o Estado. Ele quer o Estado presente na área da saúde, educação e segurança pública, e sobretudo que isso fomente condições para ele, no âmbito da educação para seus filhos, para que eles possam ter mobilidade social. 

JC - Ultimamente, vários parlamentares e futuros candidatos à Câmara dos Deputados têm usado muito a pauta moral para "ganhar corações e mentes". Isso pode acabar balizando o voto do eleitor? Oliveira - As questões morais vão atingir cerca de 15% do eleitorado, podendo chegar a 20%. Mas esse não é um fator decisivo na eleição, e sim o bem-estar econômico e uma proposta que venha a sugerir ao eleitor que seu futuro será melhor, o resgate de um bom passado. A discussão moral afetará fracamente. 

JC - O conservadorismo e a segurança pública orientaram o discurso dos eleitos em 2014. Pode haver uma mudança do critério de eleição? 
Oliveira - O que vejo é que nós poderemos ter uma fraca influência da Lava Jato, em virtude de que, para o eleitor, a classe política está contaminada. Portanto, para o novo entrar na eleição, é muito difícil. Ele vai selecionar por outro viés e por outros fatores emocionais. Será que esse político faz mesmo o que está prometendo? Será que ele fará o que está querendo fazer? Merece minha confiança? Será que fez algo por mim algum dia? Ele não levará em consideração as denúncias da Lava Jato. 

JC - Essa desilusão, por outro lado, pode promover uma atenção maior do eleitorado em relação ao voto legislativo? 
Oliveira - De modo algum. Esse é um voto que o eleitor decide no último instante, que depende muito de relações pessoais e troca de favores. O voto de opinião também inexiste. Ele não existe numa dimensão que venha a garantir que um candidato seja eleito só por voto de opinião. Pode ser eleito sem prestar favor nem usar a máquina do Estado, mas (só) porque ele representa uma determinada categoria ou grupo social. Geralmente, você estabelece relações íntimas com o eleitor para conseguir o voto numa disputa pelo Poder Legislativo. - Jornal do Comércio 

(http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/12/especiais/perspectivas_2018/602299-lava-jato-nao-tera-influencia-no-voto-do-eleitor-avalia-adriano-oliveira.html)

MANDANDO BRASA - Uma eleição sem padrinhos

Resultado de imagem para Lula e Eduardo CamposSe pegarmos o histórico das eleições de Pernambuco, vemos a forte influência de padrinhos políticos elegendo seus preferidos. Não vou fazer uma grande análise mas em especial uma eleição que marcou muito a política pernambucana: 2006. Quando Eduardo Campos se elegeu governador derrotando Mendonça Filho, candidato a reeleição, e assim, derrotando o jarbismo que vinha vencendo duas eleições consecutivas no estado. Ali, Eduardo contou com um apoio de peso: um presidente que tinha aprovação de quase 80% dos pernambucanos. 

Lula veio ao estado derrotar Jarbas e Jarbas nunca esqueceu disto. Jarbas abraçou a campanha de Mendonça, mas ele não tinha a força política que Lula teve no estado. Mendonça colou em Jarbas. Eduardo em Lula. E o resultado, todos já sabem a acachapante derrota que reduziu a União Por Pernambuco a pó. Em 2010, outra rebordosa e desta vez contra o próprio Jarbas que foi humildado por Eduardo que se reelegeu com mais de 80% dos votos.

Chegamos em 2018 com múltiplas candidaturas: Paulo Câmara, pré-candidato a reeleição pelo PSB; Armando Monteiro, pré-candidato pelo PTB; Fernando Bezerra Coelho sonhando dia e noite em disputar pelo PMDB; Marília Arraes pelo PT. Desta vez, diferente de outras eleições nenhum deles tem o MIDAS. Quem quiser ser governador que passe sebo nas pernas e peça votos, porque quem tinha força política para cantar de galo não tem mais. Ou pelos fatos da vida, ou pela Lava Jato da vida. 

Quem quiser lograr êxito, vai ter que inovar. Falar mais de si, que dos outros. Falar mais de projetos que do que foi feito. Falar mais do que pode fazer, que de quem fez alguma coisa. Não é uma coisa nova... é o povo que está muito exigente.Estão questionando, cobrando, pressionando. E a classe política terá que dar uma resposta satisfatória para a sociedade se quiser ter de volta a credibilidade perdida.E que leia-se: Eles mesmo perderam. 

No entanto, será nesta eleição que teremos alguém com força política para eleger alguém: É o Presidente Temer. Basta uma foto com Temer ao lado do adversário para que 88% da população em Pernambuco não vote. Enfim, quem quiser ser alguma coisa no ano que vem precisa se apresentar, fazer com que conheçam. O povo quer conhecer o candidato e não quem está o indicando. 

Nesta eleição, não terá padrinhos. Terá candidatos que precisam lutar por cada voto.

Silvinho Silva - Editor do Blog
silvinhosilva2018@gmail.com

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Concurso da prefeitura de Cupira abre inscrições para 161 vagas


Estão abertas até o dia 21 de janeiro de 2018 as inscrições no concurso da prefeitura de Cupira, no Agreste, que oferece 161 vagas em cargos de níveis fundamental, médio, técnico e superior. De acordo com o edital, os salários variam entre R$ 937 e R$ 4,5 mil.
As Inscrições começam hoje, 21 de dezembro de 2017 e vai até o dia 21 de janeiro de 2018, além das inscrições os interessados podem baixar o edital, por meio do site: http://cupira.pe.gov.br/concurso
Nível fundamental: Auxiliar de Serviços Gerais, Coveiro, Motorista – D, Operador de Máquina, Operador de Máquinas Pesadas, Pedreiro e vigilante.
Nível médio: Eletricista, recepcionista, tratorista, Agente Administrativo, Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Agente de Trânsito, Auxiliar de Secretaria Escolar, Digitador, Fiscal de Feira, Fiscal de Tributos, Guarda Municipal, Professor de Educação Infantil, Anos Iniciais e da Educação de Jovens e Adultos - Fases I e II, Técnico em Enfermagem e Técnico em Radiologia.
Nível superior: Nutricionista, Professor de anos finais para lecionar Ciências Naturais, Professor de anos finais para lecionar Educação Física, Professor de anos finais para lecionar Língua Inglesa, Professor de anos finais para lecionar Língua Portuguesa e Professor de anos finais para lecionar matemática.

(Blog do Wilamar Junior)

PE no Campus já começa a ofertar bolsas em 2018


Concretizando o compromisso assumido com o fortalecimento da educação pública estadual, o governador Paulo Câmara sancionou, hoje, no Palácio do Campo das Princesas, a Lei nº 16.272/2017 que oficializa a criação do Programa de Acesso ao Ensino Superior – PE no Campus. A iniciativa irá garantir mil bolsas aos estudantes da rede pública que obtiverem as maiores notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e no exame do Sistema Seriado de Avaliação (SSA), para o ingresso nas universidades públicas. A primeira edição do programa já começa a valer no primeiro semestre letivo de 2018, contemplando os participantes do Enem 2017 que preenchem os pré-requisitos para as vagas. O edital do processo seletivo será divulgado pela Secretaria Estadual de Educação no mês de janeiro.
“Agora é uma política de Estado, não mais de governo. Essa é uma conquista importante porque nós acreditamos que é um incentivo necessário, principalmente nos dois primeiros anos de curso, onde a manutenção é sempre mais difícil. A gente quer garantir a presença do aluno da rede pública nas universidades. Eu acho que é um passo importante, a educação está melhorando e o Ensino Superior pode ser uma ferramenta para a formação de muitos jovens pernambucanos”, destacou o governador, completando: “A partir de agora, eles sabem que, se passarem, vão ter condições de se manterem na universidade, e vão nos ajudar a formar uma geração de pernambucanos cada vez mais preparados”.
O chefe do Executivo estadual lembrou, ainda, que a ação integra todo um planejamento bem elaborado e pensado para o desenvolvimento do setor. “O PE no Campus é fruto de um bom planejamento. Todos nós sabemos que há um limite constitucional de aplicação de 25% das receitas estaduais para a área da educação, e Pernambuco já aplica quase 27% ano a ano. Então, a gente tem a certeza de que estamos contribuindo realmente para o futuro pessoal e profissional dos nossos jovens”, cravou.
Lançada no último mês de outubro, em solenidade na Escola de Referência em Ensino Médio Ginásio Pernambucano (unidade Cruz Cabugá), a iniciativa tem como objetivo mobilizar e estimular os estudantes a participarem cada vez mais do Enem e do SSA, além de oferecer apoio financeiro aos jovens de baixa renda da Rede Estadual de Ensino, que forem aprovados em instituições públicas de ensino superior. Os selecionados desta primeira edição já começam a receber a bolsa no mês seguinte à data da matrícula. Todo o passo a passo do processo seletivo constará no edital, que será lançado no próximo mês de janeiro.
As bolsas serão ofertadas no valor de R$ 950, para o primeiro ano do curso, e de R$ 400 para o segundo ano. Essa quantia ajudará em despesas como: moradia, alimentação e transporte, entre outras. Para concorrer a uma vaga do PE no Campus, o candidato terá que ter estudado todo o Ensino Médio na Rede Pública Estadual, tendo concluído, no máximo, há cinco anos; ser atendido pelo Bolsa Família ou ter renda familiar inferior a dois salários mínimos; e ter residência fixa com distância igual ou superior a 50 quilômetros da universidade. A ação também fortalece o programa Bolsa de Incentivo Acadêmico (BIA), com a oferta de 200 bolsas de iniciação científica, no valor de R$ 400, que são oferecidas pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) para os alunos que ingressaram em universidades públicas.